TecnologiaNeuralink de Elon Musk conectou cérebro de macaco a um computador

Damares Alves3 semanas atrásImagem ilustrativa
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/07/neuralink-3-1280x865.jpg

Não, isso não é ficção. Desde pouco tempo atrás você já pode jogar videogame usando apenas seu cérebro. Agora, Elon Musk, o bilionário chefe executivo da montadora de carros elétricos Tesla – famoso por alegar que “quer morrer em Marte, não apenas no impacto” – tem planos de tornar a inserção de uma conexão de computador no seu cérebro segura e indolor, através da Neuralink.

Falando na Academia de Ciências da Califórnia, em São Francisco, na noite de terça-feira, Musk revelou que seu time testou um implante que permite a um macaco controlar um computador com seu cérebro – sim, isso é fantástico.

LEIA TAMBÉM: Cientistas encontram universo multidimensional no cérebro

Eles também se aproximaram dos órgãos reguladores dos EUA para obter aprovação para testes do dispositivo em seres humanos.

Musk explica que os humanos já fazem interface com sistemas digitais quando usam um smartphone ou laptop. No entanto, a entrada é obtida através do toque de nossos dedos e polegares, o que significa que o fluxo de informações é relativamente lento.

Este implante espera criar uma interface quase instantânea entre um sistema digital e o cérebro, na medida em que o computador se torna uma extensão ininterrupta de nossa própria cognição.

O dispositivo consiste em uma sonda minúscula de fios flexíveis ultrafinos, mais finos que um fio de cabelo humano, que podem detectar a atividade dos neurônios e efetivamente “ler” o cérebro, embora seja uma parte muito pequena dele.

Um pequeno computador atrás da orelha seria conectado através de pequenos fios a fios que se estendiam até o cérebro. Os pesquisadores esperam que o sistema Neuralink, mostrado aqui na renderização de um artista, seja discreto:

(Neuralink).

Eles até desenvolveram um robô que é capaz de implantar o dispositivo em animais, principalmente ratos, sob a supervisão de um neurocirurgião. De acordo com um relatório sobre o projeto, que não foi revisado de forma independente, pelo menos 19 cirurgias em roedores foram realizadas pelo robô com uma taxa de sucesso de 87%.

Os fios seriam inseridos no cérebro por um sistema robótico que funciona de maneira semelhante a uma máquina de costura. Uma agulha pegaria cada fio por um pequeno laço e seria inserida no cérebro pelo robô. (Neuralink)

Os resultados da Neuralink podem ser muito emocionantes, mas ainda há inúmeros obstáculos e problemas a serem superados antes que se torne uma realidade.

Os executivos da Neuralink disseram ao The New York Times que eles sabem que têm um “longo caminho a percorrer” antes que o projeto tenha usos práticos reais.

Eventualmente, Neuralink espera ser usado para tratar uma série de lesões cerebrais e doenças, incluindo tudo, desde paralisia até o Alzheimer.

LEIA TAMBÉM: Vídeo incrível mostra líquido espinhal lavando o cérebro durante o sono

A longo prazo, também espera evitar a “ameaça existencial da IA”, nas palavras de Musk. A teoria diz que uma interface homem-computador perfeita daria à humanidade a opção de se relacionar com a IA, em vez de se tornar radicalmente inferior a ela.

“Por fim, poderíamos fazer uma interface cérebro-máquina completa, o que significa – isso vai soar bem estranho, mas – que podemos alcançar uma espécie de simbiose com inteligência artificial”, disse Musk à multidão no evento.

FONTES / The New York Times / IFLScience