PaleontologiaUm dinossauro com asas de ‘morcego’ foi descoberto

Dinossauro que viveu 163 milhões de anos atrás é fundamental para entendermos o voo das aves modernas.
Redação2 meses atrásAmbopteryx longibrachium. Image credit: Chung-Tat Cheung & Min Wang / Institute of Vertebrate Paleontology and Paleoanthropology, Chinese Academy of Sciences.
https://i2.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/05/image_7170e-Ambopteryx-longibrachium-e1557598286921.jpg?fit=1200%2C1000&ssl=1

Uma espécie desconhecida do grupo de dinossauros voadores semelhante aos pássaros e com asas parecidas com as de pterossauros foi descoberta por uma equipe de paleontólogos da China. A descoberta, publicada na edição de 9 de maio da revista Nature, lança novas luzes sobre as origens do voo das aves.

Nomeado Ambopteryx longibrachium, o dinossauro viveu há aproximadamente 163 milhões de anos (período jurássico) onde hoje é a China.

Ambopteryx longibrachium é na verdade o segundo dinossauro com ‘asas de morcego’ a ser encontrado. O primeiro também foi na China e eventualmente descrito em 2015 por Xing Xu e Xiaoting Zheng. Nomeado Yi qi, “asa estranha” no mandarim, também tinha uma longa haste de pulso que provavelmente suportava uma membrana de couro.

A criatura pré-histórica tinha um comprimento de corpo de cerca de 32 cm e uma massa corporal estimada de 300 g. Também pertenceu à Scansoriopterygidae, uma família extinta de dinossauros terópodes não-aviários que escalava e planava.

“Scansoriopterygids diferem de outros terópodes em suas proporções corporais, particularmente nas proporções do membro anterior, que suporta uma estrutura de asa bizarra reconhecida pela primeira vez no Yi qi”, disse o líder da equipe Dr. Min Wang.

“Ao contrário de outros dinossauros voadores, os pássaros, essas duas espécies têm asas membranosas sustentadas por um osso de pulso semelhante a uma haste que não é encontrado em nenhum outro dinossauro, mas está presente em pterossauros e esquilos voadores.”

Ambopteryx longibrachium. Crédito da imagem: Chung-Tat Cheung & Min Wang / Institute of Vertebrate Paleontology and Paleoanthropology, Chinese Academy of Sciences.

Um esqueleto quase completo de Ambopteryx longibrachium foi desenterrado perto da Vila Wubaiding, na província chinesa de Liaoning.

“Devido à preservação incompleta do único exemplar conhecido, Yi qi, a veracidade das estruturas únicas das asas e suas funções exatas permaneceram em debate acalorado”, disseram os paleontólgos.

“Em contraste, as asas emplumadas, documentadas pela primeira vez em dinossauros não-aviários do Jurássico Superior, foram refinadas através da evolução de numerosas modificações no esqueleto e tecido mole, dando origem a pelo menos duas formas independentes de voo de dinossauro e levando ao sucesso atual dos pássaros modernos.”

As estruturas das asas do Ambopteryx longibrachium, assim como no Yi qi, representam uma tentativa de curta duração e malsucedida de voar. Isso demonstra que eles eram, muito provavelmente, um planador, parecido com os esquilos voadores modernos. [The Atlantic, Sci-News]

Min Wang et al. 2019. A new Jurassic scansoriopterygid and the loss of membranous wings in theropod dinosaurs. Nature 569: 256-259; doi: 10.1038/s41586-019-1137-z