A maioria das pessoas não sabe que a mudança climática é inteiramente humana
 

Aquecimento globalDesenvolvimento SustentávelA maioria das pessoas não sabe que a mudança climática é inteiramente humana

Quanto do aquecimento do século passado você acha que foi causado por ações humanas, ao invés de processos naturais?
Diógenes Henrique26 de novembro de 201811 min

Se você acha que os processos naturais desempenharam um papel importante, você está longe de estar sozinho. Menos da metade das pessoas no Reino Unido (43%), Alemanha (49%) e Noruega (apenas 34%) acreditam que a mudança climática tem como causa principalmente ou inteiramente as atividades humanas, de acordo com uma pesquisa de opinião pública. Na França, uma pequena maioria (55%) mantém essa visão.

A resposta correta, a propósito, é que mais de 100% do aquecimento no século passado1 se deve a ações humanas. Como pode ser mais de 100%? Porque sem nós, o planeta provavelmente teria se resfriado muito ligeiramente graças a fatores naturais, como emissões vulcânicas e mudanças orbitais.

Ainda menos pessoas entendem que a grande maioria dos cientistas concorda que a mudança climática está acontecendo e é em grande parte devido à atividade humanas. Apenas cerca de um terço das pessoas nos quatro países pesquisados pensam que mais de 80% dos cientistas concordam com isso.

De fato, mais de 90% dos cientistas concordam que a mudança climática está totalmente relacionada com nossas atividades2. Entre aqueles que estudam ativamente o clima, o consenso é de 97%.

A pesquisa3, com mil indivíduos em cada um dos quatro países em junho de 2016, não analisou por que apenas uma minoria de pessoas conhece tais fatos básicos, mas a longa campanha de desinformação financiada por interesses da indústria de combustíveis fósseis obviamente teve um papel importante. “Isso dificulta a transmissão da mensagem”, diz, segundo a revista NewScientist4, Nick Pidgeon, da Universidade de Cardiff, no Reino Unido, que coordenou o estudo. A boa notícia é que mais de 80% das pessoas nos quatro países concordam que o clima está mudando e 60% acham que já estamos sentindo os efeitos.

Melhor ainda, a maioria também apoia ações para limitar ainda mais as mudanças climáticas. Há amplo apoio à energia solar, eólica e hidrelétrica, com 69% ou mais concordando que a energia renovável deve ser subsidiada.

A maioria das pessoas também acha que o dinheiro público deveria ser usado para se preparar para a mudança climática e ajudar os países em desenvolvimento a lidar com os efeitos. E dois terços apoiam o Acordo Climático de Paris5.

No entanto, a energia nuclear não é uma opção com uma boa aceitação popular, especialmente na Alemanha e na Noruega, onde 40% ou mais são fortemente contra. Alguns cientistas, entretanto, defendem que a energia nuclear é essencial para nos ajudar a reduzir as emissões de carbono6.

O fraturamento hidráulico,um método que possibilita a extração de combustíveis líquidos e gasosos do subsolo, também é impopular; é fortemente contestado por um quarto das pessoas nos quatro países, com apenas seis por cento ou menos apoiando fortemente essa técnica de obtenção de combustíveis fósseis. [NewScientist]

Nota: Pesquisa de opinião publicada em 20177 com 746 pessoas nos Estados Unidos, 75,3% das pessoas atribuem os efeitos comumente “Aquecimento Global” a influência humana; 92,7% acreditam que substâncias comumente referenciadas como “gases do efeito estufa” têm a capacidade de aquecer a atmosfera terrestre e com relação aos registros históricos de temperatura, 70,6 acreditam que, dado a suas experiências pessoais, os gases estufas provêm de emissões humanas.

Foto de capa: Manifestação “Climate action now Australia”. Mais de 30.000 pessoas se reuniram e marcharam em Melbourne no domingo, 21 de setembro de 2014, como parte do protesto global do clima “Peoplesclimate”, que cobrou ação dos governantes sobre a mudança climática. Esse foi um dos mais de 2.500 protestos em 150 países ao redor do mundo. Crédito/Fonte: Takver / Flickr.

Referências:

  1. Ribes, A., Zwiers, F.W., Azaïs, JM. et al. A new statistical approach to climate change detection and attribution. Clim Dyn (2017) Volume 48, Issue 1–2, pp 367–386. https://doi.org/10.1007/s00382-016-3079-6;
  2. The 97% consensus on global warming; https://skepticalscience.com/global-warming-scientific-consensus-advanced.htm;
  3. Pidgeon, Nick et al. European Perceptions of Climate Change Project (EPCC) – Topline findings of a survey conducted in four European countries in 2016. Cardiff University and Joint Programme Initiative-Climate Change, March 2017. https://orca.cf.ac.uk/98660/7/EPCC.pdf;
  4. Le Page, Michael.  Most people don’t know climate change is entirely human-made. New Scientist, 8 March 2017. https://www.newscientist.com/article/2123819-most-people-dont-know-climate-change-is-entirely-human-made/;
  5. The Paris Agreement. United Nations- Climate Change. https://unfccc.int/process-and-meetings/the-paris-agreement/the-paris-agreement;
  6. Biello, David. How Nuclear Power Can Stop Global Warming. Scientific American (2013). https://www.scientificamerican.com/article/how-nuclear-power-can-stop-global-warming/;
  7. Thompson, J. E. Survey data reflecting popular opinions of the causes and mitigation of climate change. Data in Brief, volume 14, October 2017, Pages 412-439 https://doi.org/10.1016/j.dib.2017.07.060.

Leitura adicional (original em inglês):

  1. Nuccitelli, Dana. American conservatives are still clueless about the 97% expert climate consensus. The Guardian, Thu 5 Apr 2018. https://www.theguardian.com/environment/climate-consensus-97-per-cent/2018/apr/05/american-conservatives-are-still-clueless-about-the-97-expert-climate-consensus