Connect with us

Hi, what are you looking for?

Espaço

Veja um buraco negro devorar uma estrela

Buracos negros são ferozes devoradores, mas podemos ver o processo externo no processo de um buraco negro devorar uma estrela.

(Créditos da imagem: NASA)

Buracos negros são ferozes devoradores de matéria e energia. Do horizonte de eventos, nem a luz escapa, mas podemos ver o processo externo no processo de um buraco negro devorar uma estrela.

Os buracos negros são relativamente comuns, mas este é um processo bastante raro. Estima-se que um banquete assim ocorre somente com um buraco negro a cada cem mil anos em toda a galáxia.

Houve, nos últimos dias, uma notícia que rolou pela internet recentemente, referente a um buraco negro tão grande que consome uma quantidade de matéria equivalente a um Sol por dia, o J2157.

Continua depois da publicidade

A notícia é real, mas não é que uma estrela por dia surge por ali e ele a devora. O buraco negro com uma massa de 40 bilhões de sóis, se alimenta de gases – ou qualquer matéria próxima, de forma que a média diária seja equivalente  a um Sol.

Um vídeo feito recentemente pela NASA e pela Universidade Estadual de Ohio mostra um pouco da beleza que é o disco de acreção – o disco de matéria que se forma em torno do buraco  negro que a engole.

Pode-se dizer, portanto, que foi uma ocasião um tanto especial para os astrônomos, dado o intervalo temporal bastante grande entre os casos onde pode-se observar este tipo de fenômeno.

Continua depois da publicidade

As observações foram feitas em janeiro de 2019 com um equipamento conhecido como All-Sky Automated Survey for Supernovae (ASAS-SN), pertencente à própria Universidade.

Com os dados obtidos pelo ASAS-SN, a NASA pode gerar um vídeo que mostra a feroz alimentação de um buraco negro. O vídeo foi publicado no youtube em setembro de 2019.

Veja o buraco negro devorar uma estrela:

Continua depois da publicidade

O buraco negro

É um buraco negro supermassivo, com uma massa equivalente a aproximadamente seis milhões de sóis, localizado na constelação de Volans. O fenômeno ocorreu há muitos milhões de anos, mas a luz só nos alcançou agora. 

O buraco negro, em questão está 375 milhões de anos-luz de distância, e localiza-se no centro da galáxia 2MASX J07001137-6602251, com seus 6,3 milhões de massas solares.

Ele é relativamente maior do que o Sagittarius A * (lê-se Sagittarius A-estrela), o buraco negro no centro da Via Láctea. O Sagittarius A * possui 2 milhões de massas solares a menos, ou seja 4 milhões de massas solares.

Continua depois da publicidade

A observação

Este tipo de fenômeno, onde uma estrela de aproxima de um buraco negro, é chamado de Evento de perturbação de marés, ou TDE, na sigla para o mesmo termo em inglês.

O TDE ocorreu em um pedaço do céu que coincidiu, na época, com o campo de observação da TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite), um satélite da NASA e do MIT utilizado para caçar exoplanetas.

Quando o ASAS-SN estava olhando para a região, notou um sinal, que só poderia ser esse fenômeno. A TESS possuía dados dos oito dias anteriores, e eles puderam verificar o pico inicial de luminosidade.

Continua depois da publicidade

Depois, eles aindo utilizaram dados do espectrômetro de pesquisa de baixa dispersão 3 (LDSS-3), instrumento da dupla de telescópios Magalhães, localizados no Chile.

A equipe continuou observando o brilho até que pico acabasse, e realizou estudos para conseguir mais detalhes e confirmações com outros equipamentos. Os resultados foram publicados em setembro de 2019 no The Astrophysical Journal.

Continua depois da publicidade
Avatar
Publicado por

É divulgador científico por paixão. Gradua-se em Física pela UFSCAR e atua principalmente na Ciencianautas e SoCientífica.


Populares hoje

Plantas & Animais

Novos estudos mostram que as tarântulas habitam o planeta por mais de 120 milhões de anos.

Notícia

Os hominídeos Homo antecessor são parentes bem antigos dos Homo sapiens. Esses humanos ancestrais habitavam vastas regiões da Europa entre 1,2 milhões e 800...

Ciência

Na Paleontologia, encontrar novas peças que pertenceram a milhões de anos atrás é um dos principais objetos de estudo. No entanto, durante uma expedição...

Plantas & Animais

Um estegossauro era um tanque de guerra feito de carne e ossos. Assim como outros grupos de dinossauros com armaduras naturais, os estegossauros possuíam...