Connect with us

Hi, what are you looking for?

Espaço

Misterioso objeto circular detectado no espaço intriga astrônomos

Todo dia, equipamentos astronômicos identificam numerosos sinais pelo cosmos. Entretanto, um novo e misterioso objeto intriga os astrônomos.

(Créditos da imagem: Norris et al.)

Todo dia os diversos equipamentos astronômicos da Terra identificam numerosos sinais e objetos espalhados pelo cosmos. Entretanto, um novo e misterioso objeto intriga os astrônomos.

Quatro objetos, na verdade. Todos os quatro são semelhantes, com uma espécie de bolha. Possuem uma forma circular, e três possuem as bordas mais brilhantes, formando um “anel” brilhante.

Os objetos foram chamados de ORCs – sigla em inglês para Odd Radio Circles, ou algo como ‘Estranhos Círculos de Rádio’, no português. Eles receberam esse nome por terem sido identificados nas frequências do rádio.

Continua depois da publicidade

O artigo que descreve a descoberta foi publicado como preprint no repositório ArXiv e aguarda a revisão por pares pela revista Nature Astronomy, onde ainda não foi decidido se será publicado.

No artigo, eles dizem que os objetos se assemelham a “um remanescente de supernova, uma nebulosa planetária, uma concha circunstelar ou um disco frontal, como um disco protoplanetário ou uma galáxia em formação de estrela”.

Eles, entretanto, não descartam a possibilidade de um erro. “Eles também podem surgir de artefatos de imagem em torno de fontes luminosas causadas por erros de calibração ou deconvolução inadequado”.

Continua depois da publicidade

Primeiras detecções

A primeira detecção do misterioso objeto foi feita em 2019 durante as detecções de informações para a pesquisa piloto de um projeto chamado Mapa Evolucionário do Universo (EMU)

O EMU, que visa criar um mapa das emissões de rádio no espaço, utiliza principalmente o Australian Square Kilometre Array Pathfinder (ASKAP), um rádio observatório australiano, como o próprio nome indica.

Australian Square Kilometre Array Pathfinder (ASKAP). (Créditos da imagem: Wikimedia Commons).

Embora eles tenham proposto a hipótese de alguma falha, essa possibilidade não é tão alta. Quando identificaram o primeiro, cogitaram falha, mas identificaram mais dois e, mais tarde, o quarto, o que reduz essa possibilidade.

A influência do quarto na quase certeza de uma identificação de fato, é por um motivo que precede a existência do ASKAP. Portanto, um segundo observatório também precisaria estar errado.

Continua depois da publicidade

Em uma análise de dados de 2013 do Telescópio de Rádio Giant MetreWave, os cientistas observaram um desses ORC, e um terceiro telescópio, o Australian Telescope Compact Array, também confirmou.

Os objetos

É difícil estimar com uma precisão o tamanho desses objetos, já que não se sabe nem ao menos a distância entre eles e nós. Estamos totalmente no escuro com relação aos Odd Radio Circles.

Outro ponto interessante, é que eles são visíveis apenas nas radiofrequências, e totalmente invisíveis no espectro da luz visível, nos raios-x ou nos raios infravermelhos.

Continua depois da publicidade

Eles disseram, no artigo, como citado no início do texto, que se parecem com remanescentes de supernovas, nebulosas planetárias, ou algumas dessas “nuvens cósmicas”.

Entretanto, é uma semelhança superficial, já que por análises espectrais, elas apresentam diversas diferenças desses objetos, como a visibilidade apenas nas ondas de rádio, conforme dizem os cientistas.

“Também é possível que os ORCs representem uma nova categoria de um fenômeno conhecido, como os jatos de uma galáxia de rádio ou blazar, quando vistos de ponta a ponta, no ‘barril’ do jato”, dizem.

Continua depois da publicidade

Seja o que for, não é o fim do mundo. A dúvida é algo de praxe na ciência, e se não houvessem incógnitas, também não haveria o progresso científico. O trabalho dos cientistas é desmistificar o universo, e é isso que estão tentando fazer.

Com informações de Science Alert.

Continua depois da publicidade

Populares hoje

Saúde & Bem-Estar

Uma empresa israelense chamada CorNeat Vision desenvolveu uma córnea sintética e permitiu a um homem de 78 anos, cego há dez anos, recuperar totalmente...

Tecnologia

Muitos especialistas em estratégia militar alertam que as guerras do futuro não serão terrestres, mas confrontos sob o signo da inteligência artificial e do...

História & Humanidade

Os sapiens não são a única espécie humana que já circulou pela Terra, embora hoje só nós estejamos vivos. Fora os sapiens, a espécie...

História & Humanidade

Nós possuímos, em nosso DNA, registros de um ancestral misterioso, que acasalou com espécies humanas há aproximadamente um milhão de anos.