Connect with us

Hi, what are you looking for?

Ciência

Estudo indica que o Coronavírus pode durar 28 dias em superfícies

Vírus
Vírus do COVID-19 pode durar até 28 dias, segundo pesquisa. (Imagem: Yuichiro Chino/Getty Images)

Uma nova pesquisa sobre o novo Coronavírus sugere que o vírus pode durar até 28 dias em superfícies. O estudo foi publicado por pesquisadores da Austrália.

Resistência por até 28 dias

Além dos aerossóis e das gotículas de saliva, as pessoas devem também se preocupar com o que tocam. E é exatamente o que este estudo está lembrando: devemos lavar as mãos com frequência e ter cuidado com a situação ao nosso redor.

Os pesquisadores pegaram uma cepa contendo o novo coronavírus, SARS-CoV-2, e colocaram sobre uma solução que imita o muco humano. Os cientistas estimam que a concentração final de vírus na solução seja em torno da quantidade que um paciente COVID-19 com alta carga viral apresenta.

Continua depois da publicidade

Ao fazer um estudo de resistência do vírus em superfícies como vidro e notas de banco, a equipe se surpreendeu: o vírus permaneceu por até 28 dias na maioria das superfícies a 20 ° C, com exceção do algodão.

Uma das pesquisadoras do CSIRO, Debbie Eagles, esclareceu um pouco os resultados do estudo.

“A 20 ° C, que é aproximadamente a temperatura ambiente, descobrimos que o vírus era extremamente robusto, sobrevivendo por 28 dias em superfícies lisas, como vidros encontrados em telas de telefones celulares e notas de plástico”, disse Debbie Eagles.

Continua depois da publicidade

Para ter uma noção, o vírus Influenza A sobrevive em superfícies por 17 dias. Portanto, conseguimos perceber o quão resistente é o vírus SARS-CoV-2.

Um estudo ainda limitado

Apesar de que em locais com temperaturas mais elevadas não houve menor propagação do SARS-CoV-2, o vírus não sobreviveu, no estudo, por muito tempo em temperaturas mais altas.

Além disso, os pesquisadores mantiveram todas as amostras no escuro para reduzir o impacto da luz ultravioleta. Por isso, essas descobertas podem não corresponder às situações reais em condições diferentes.

Continua depois da publicidade

VEJA MAIS: Metade dos pacientes recuperados da Covid-19 sofrem fadiga persistente

Ainda não sabe, no entanto, quanto do vírus é necessário para deixar uma pessoa doente. Os pesquisadores estavam analisando quantidades de vírus dez vezes reduzidas; após 28 dias, a quantidade capaz de causar infecção diminuiu bastante. Por isso, ainda não se sabe se a quantidade de vírus nessas superfícies após o período de 28 dias seria suficiente para deixar uma pessoa doente.

“Ainda que o papel da transmissão de superfície, o grau de contato de superfície e a quantidade de vírus necessária para a infecção ainda não tenham sido determinados, estabelecer por quanto tempo esse vírus permanece ativo em superfícies é fundamental para o desenvolvimento de estratégias (…) em áreas de alto contato”, disse Debbie Eagles.

Continua depois da publicidade

Assim, as medidas para proteção contra o SARS-CoV-2 continuam sendo usar máscara, ficar longe de aglomerações e lavar as mãos regularmente. Além disso, a limpeza de superfícies como vidro também é muito importante.

Avatar
Publicado por

Matheus Gouveia é formado em Engenharia Elétrica e apaixonado por ciência e tecnologia. Atualmente é redator da SoCientífica e autor do blog "DoCaramba!".


Populares hoje

Física & Química

O urânio é um elemento químico famoso pela aplicação em usinas de energia nuclear e bombas atômicas. Esse elemento radioativo tem o número atômico...

Planeta & Ambiente

Os filmes de ficção científica sempre nos fazem imaginar acerca de como seria o mundo caso um alienígena usasse seus “poderes” contra os humanos....

Plantas & Animais

Resgatar um animal é uma tarefa bastante complicada. Agora, imagine ter que salvar uma manada de uma espécie de girafa em extinção, que estão...

Notícia

Há 20 mil anos, a Terra estava passando pela mais recente de suas eras glaciais. Devido a alterações na atmosfera do planeta, enormes coberturas...