Connect with us

Hi, what are you looking for?

História & Humanidade

Crânio da idade da pedra tem marcas de cirurgia e aponta para sacrifício

Crânio cirurgia trepanação
Arqueólogos encontraram dois crânios da Idade da Pedra na caverna Dehesilla, na Península Ibérica. Um dos crânios (frontal) mostrava sinais de um tipo de cirurgia cerebral chamada trepanação.(Imagem: Universidade de Sevilha)

Arqueólogos encontraram um crânio da Idade da Pedra que tem marcas de cirurgia cerebral e decapitação. Suspeita-se que ele tenha pertencido a uma mulher adulta, por volta do ano 4500 AEC.

Procedimento cirúrgico cerebral

Os pesquisadores encontraram o crânio na caverna Dehesilla, Espanha, ao lado de um segundo crânio adulto, provavelmente de um homem. Além disso, havia no local restos mortais de uma cabra, o que aponta para um possível sacrifício humano. O autor do estudo Daniel García-Rivero, da Universidade de Sevilha, disse que os ossos poderiam ter sido usados em algum ritual religioso.

Apesar de ser difícil determinar o sexo de um indivíduo apenas pelo crânio, o tamanho e a forma dos ossos encontrados sugerem sexos opostos. Ambos eram adultos, mas os pesquisadores não puderam estimar as suas idades com precisão.

Continua depois da publicidade

Quando analisavam o crânio, os arqueólogos encontraram uma cavidade de cerca de 19 milímetros de largura com sinais de crescimento. Eles viram que não havia rachaduras no buraco, portanto concluíram que a mulher passou por uma trepanação.

Crânio cirurgia trepanação

(Imagem: García-Rivero et al., PLOS ONE / CC por 4.0)

Esta, por sua vez, consiste em uma cirurgia para a abertura de um ou mais buracos no crânio.

Acredita-se que esse procedimento cirúrgico tenha começado há cerca de 7000 anos, sendo inicialmente realizado para fins religiosos e terapêuticos. Na verdade, centenas de crânios da Idade da Pedra já foram encontrados com orifícios de trepanação. Pesquisadores estimam que cerca de 1 em cada 10 esqueletos encontrados do período apresentam indícios desse procedimento.

Trepanação Craniana

Ilustração de 1517 demonstrando uma trepanação. (Imagem: Domínio Público)

Sacrifício humano?

Na medicina moderna, os cirurgiões costumam remover partes do crânio após alguma lesão cerebral para aliviar o inchaço. Mas é possível que os cirurgiões antigos tenham feito a cirurgia porque acreditavam que isso liberaria espíritos malignos.

De qualquer forma, a trepanação feita no crânio encontrado estava incompleta, pois o buraco não atravessou completamente o crânio. Os pesquisadores afirmaram que a mulher provavelmente viveu mais algum tempo após o procedimento. No entanto, outras marcas de cortes no crânio indicam que sua cabeça foi removida do corpo após a morte.

Continua depois da publicidade

A cena que viram na caverna sugere que houve algum tipo de ritual no local. Para García-Rivero, autor do estudo, talvez tenha acontecido um sacrifício envolvendo as pessoas encontradas. É mais provável que o sacrifício para o ritual tenha sido uma cabra, mas os arqueólogos não excluem a possibilidade de sacrifício humano.

VEJA MAIS: Estes foram os cinco maiores faraós do Egito

Ainda mais, García esclarece que a descoberta pode ter grandes implicações na antropologia. Para ele, o sacrifício humano e animal pode ter sido parte de cultos ou festas de celebração.

Continua depois da publicidade

“Esta descoberta abre novas linhas de pesquisa e novos cenários antropológicos.” – García-Rivero

Ainda permanece mistério

A Caverna Dehesilla fica na cordilheira bética, na Espanha, e desde a década de 70, os arqueólogos têm encontrado lá artefatos da Idade da Pedra.

Sacrifício humano na Caverna Dehesilla

O enterro foi encontrado no fundo da caverna na “Sala 4”, mostrada aqui. (Imagem: García-Rivero et al., PLOS ONE /CC por 4.0 )

Muito pouco se sabe sobre as práticas de sepultamento no período Neolítico. Mas a nova descoberta é uma oportunidade para comparar as práticas dos povos do sul da Península Ibérica com as dos povos do leste.

Artigo publicano no jornal PLOS ONE.

Continua depois da publicidade
Avatar
Publicado por

Matheus Gouveia é formado em Engenharia Elétrica e apaixonado por ciência e tecnologia. Atualmente é redator da SoCientífica e autor do blog "DoCaramba!".


Populares hoje

Plantas & Animais

Novos estudos mostram que as tarântulas habitam o planeta por mais de 120 milhões de anos.

Notícia

Os hominídeos Homo antecessor são parentes bem antigos dos Homo sapiens. Esses humanos ancestrais habitavam vastas regiões da Europa entre 1,2 milhões e 800...

Ciência

Na Paleontologia, encontrar novas peças que pertenceram a milhões de anos atrás é um dos principais objetos de estudo. No entanto, durante uma expedição...

Plantas & Animais

Um estegossauro era um tanque de guerra feito de carne e ossos. Assim como outros grupos de dinossauros com armaduras naturais, os estegossauros possuíam...