Connect with us

Hi, what are you looking for?

História & Humanidade

Antiga guerreira ‘amazona’ não tinha mais que 13 anos, revela estudo

Uma análise de DNA revelou que um túmulo descoberto há trinta anos pertencia a uma guerreira ‘amazona’ com não mais que 13 anos

O túmulo da guerreira amazona
(Imagem: Vladimir Semyonov, MO Mashezerskaya)

Segundo a mitologia grega, uma tribo de mulheres guerreiras brutais e agressivas viveu na Ásia Central. Segundo Heródoto e Estrabão as guerreiras amazonas viviam nas margens rio Thermodon. Agora, pesquisadores acabam de revelar que um túmulo de um guerreiro descobertos há três décadas, pertencia a uma jovem guerreira ‘amazona’, com não mais que 13 anos.

Guerreira amazona
Estátua em Mármore “A Amazona Ferida” no Capitoline Museums, em Roma. (Créditos: Jean-Pol GRANDMONT)

Nos anos 80, pesquisadores encontraram o túmulo do que se acreditava ser um jovem guerreiro parcialmente mumificado na Sibéria.

LEIA TAMBÉM: Grande guerreira viking pode ter sido, na verdade, eslava

A múmia levou os pesquisadores ao fascínio pois estava em ótimo estado de preservação. Até mesmo uma ‘verruga’ era visível em seu rosto. Entretanto, naquela época os pesquisadores não encontraram evidências de que os restos mortais pertenciam a uma mulher.

Continua depois da publicidade
Jovem guerreira amazona
Túmulo da criança amazona. (Imagem: Vladimir Semyonov)

A jovem guerreira amazona

Junto ao corpo foram encontrados um conjunto completo de armas: um machado, um arco de um metro e uma aljava com dez flechas, com 70 centímetros de comprimento.

Armas de uma jovem guerreira amazona
Flechas encontradas no túmulo. Das flechas achadas no local, duas eram de madeira, uma com ponta de osso e as pontas de flecha do restante eram de bronze. (Imagem: A.Yu. Makeeva)

No local não havia nenhum espelho, miçanga ou qualquer outro indicativo de que o túmulo de uma menina. Então os pesquisadores concluíram que os restos mortais eram de um menino com idade entre 12 e 13 anos. A confusão aconteceu porque os recursos tecnológicos disponíveis há trinta anos atrás eram muito limitados.

Agora, mais de trinta anos depois, uma análise de DNA mostrou que as armas foram dispostas no túmulo de uma pequena guerreira. Quem sabe uma jovem amazona, nascida e criada para a guerra, como descrito pelos gregos antigos? A datação de carbono mostrou que a menina viveu há 2.600 anos.

Machado de uma guerreira amazona
Dois machados de batalha encontrados no túmulo. (Imagem: A.Yu. Makeeva)

Uma conexão com o mito das Amazonas

As novas descobertas abrem um novo aspecto no estudo da história social da sociedade viveu naquela época e lugar e, involuntariamente nos devolve ao mito das Amazonas que sobreviveram graças ao historiador Heródoto e o médico grego Hipócrates

LEIA TAMBÉM: Naufrágio descoberto no Nilo prova relato de Heródoto há 2.469 anos

Hipócrates conta ter observado mulheres guerreiras entre os sármatas, um grupo cita famoso por seu domínio da guerra montada.

Continua depois da publicidade

“Suas mulheres, desde que fossem virgens, montavam, atiravam, jogavam o dardo enquanto montadas e lutavam com seus inimigos”, escreveu Hipócrates

O novo estudo foi publicado na revista Antropology, confira.

Continua depois da publicidade
Avatar
Publicado por


Populares hoje

Plantas & Animais

Novos estudos mostram que as tarântulas habitam o planeta por mais de 120 milhões de anos.

Notícia

Os hominídeos Homo antecessor são parentes bem antigos dos Homo sapiens. Esses humanos ancestrais habitavam vastas regiões da Europa entre 1,2 milhões e 800...

Ciência

Na Paleontologia, encontrar novas peças que pertenceram a milhões de anos atrás é um dos principais objetos de estudo. No entanto, durante uma expedição...

Plantas & Animais

Um estegossauro era um tanque de guerra feito de carne e ossos. Assim como outros grupos de dinossauros com armaduras naturais, os estegossauros possuíam...