Connect with us

Hi, what are you looking for?

História & Humanidade

Agricultor encontra grande tesouro romano enterrado na Polônia

(Imagem: Museu de Hrubieszow)

Arqueólogos anunciaram a descoberta, na Polônia, de um antigo tesouro romano com cerca de 5,5 kg, com mais de 1.800 moedas de prata. Segundo os pesquisadores, este é o maior tesouro do período romano já encontrado no país.

O agricultor Mariusz Dyl descobriu o tesouro no ano passado, sem querer, mas sua descoberta só ficou conhecida agora. Em um campo perto da vila de Tsikhobuzh, ao sul de Grubeshov, Mariusz avistou moedas espalhadas em terras aráveis. O fazendeiro informou os funcionários do museu da cidade de Hrubieszow sobre sua descoberta.

“Fomos com ele e uma equipe de arqueólogos e voluntários”, disse Bartlomei Bartetski, diretor do museu em Hrubieszow.

Continua depois da publicidade

A análise preliminar mostrou que as moedas estavam armazenadas em uma caixa de madeira ou ‘carteira de couro’. Os restos do “contêiner” não sobreviveram aos nossos tempos. Contudo, havia rebites de bronze banhados a prata com os quais ele estava decorado.

Agricultor encontra, sem querer, tesouro romano na Polônia
(Imagem: Museu de Hrubieszow)

O tesouro remonta ao período romano. Achados semelhantes na Polônia são extremamente raros. A moeda mais antiga era um denário com a imagem do imperador romano Marcus Cocceius Nerva, que governou de 96 a 98 anos EC. A mais “jovem” era uma moeda com o perfil do imperador Septimius Severus, que governou de 193 a 211 EC.

“Concluímos que as moedas foram cunhadas por cerca de 100 anos, do final do século I ao final do século II EC”, disse Bartetski. “O território do atual distrito de Lublin era habitado por vândalos no século II EC.”

Escondendo o tesouro romano

Muitas batalhas ocorreram neste território, como evidenciado pelo grande número de enterros de guerreiros vândalos encontrados ali. Talvez um dos vândalos escondeu o tesouro. Mas a expectativa de um rápido retorno, aparentemente, não se concretizou.

Continua depois da publicidade
Agricultor encontra, sem querer, tesouro romano na Polônia
(Imagem: Museu de Hrubieszow)

“Os vândalos ocultaram os tesouros enquanto fugiam dos godos”, disse o professor Andrzej Kokowski, do Instituto de Arqueologia da Universidade de Marie Curie-Skłodowska, em Lublin. “Parece que foi aqui que os vândalos perderam os fundos que levantaram para continuar a luta.”

Para as tribos bárbaras, era uma quantia enorme de tesouros: segundo estimativas, equiparava-se ao salário de um legionário romano de seis anos. No final do século II, um soldado romano ganhava 300 dinares por ano. Essa quantia não seria suficiente para comprar, por exemplo, uma vila. Mas era suficiente para ter grande mordomia.

Agricultor encontra, sem querer, tesouro romano na Polônia
(Imagem: Museu de Hrubieszow)

Especialistas ainda não concluíram o estudo das moedas, mas elas estão sendo submetidas à análise de especialistas da Universidade de Varsóvia. O estudo pode demorar cerca de um ano e, durante todo esse tempo, uma exposição virtual com fotos do tesouro funcionará no Museu Grubeshov.

“Sem dúvida, este é o maior tesouro romano encontrado na região de Lublin e um dos maiores encontrados até agora na Polônia”, afirmou Bartetski.

Continua depois da publicidade
Avatar
Publicado por

Tradutor e escritor freelancer, é divulgador científico na SoCientífica desde 2018. Nela, escreve sobre temas que dão faísca à imaginação do leitor, de tubarões e fantasmas a quasares.


Populares hoje

Mente & Cérebro

Pela primeira vez, pesquisadores conseguiram estudar o momento em que a morte cerebral se torna irreversível no corpo humano, observando o fenômeno em vários...

Plantas & Animais

No fim da década passada, em 2007, cientistas russos, húngaros e norte-americanos recuperaram sementes congeladas de Silene stenophylla, enquanto avaliavam aproximadamente 70 antigas tocas...

Mundo Estranho

Esta semana moradores da cidade de Cracóvia, na Polônia teriam se trancado em casa assustados com uma ‘criatura aterrorizante’ que estaria escondida nas árvores perto...

História & Humanidade

100.000 anos atrás, um grupo de 36 neandertais caminhou ao longo de uma praia no sul da Espanha. Durante a caminhada, vários indivíduos deixaram...