HomeTagArquivos ESO - SoCientífica

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/08/secondbabypl.jpg

Astrofísicos da Universidade Monash, usando o telescópio ALMA, no Chile, fizeram uma das primeiras descobertas mundiais de um segundo planeta “bebê” (duas a três vezes mais pesado que Júpiter) dentro de uma lacuna de gás e poeira. A equipe responsável pela pesquisa foi a primeira a descobrir um novo planeta dentro de um disco protoplanetário. Estas descobertas foram publicadas no ano passado nas Astrophysical Journal Letters. Usando os mesmos métodos, os cientistas descobriram agora um...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/07/asteroide-não-colidirá-com-a-terra.jpg

Está se divulgando muito em mídias sociais e sites sensacionalistas que um asteroide atingirá a Terra este ano no. A chance disso acontecer, contudo, foi descartada de vez por astrônomos. A falta de detecção do asteroide na “área de curso prevista para a colisão” fizeram os astrônomos descartarem a possibilidade, ainda que remota, do asteroide 2006 QV89 colidir com a Terra. O asteroide, com tamanho aproximado de 50 metros de diâmetro, foi descoberto pelo Catalina...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/04/hubblewatche-1280x720.jpg

EspaçoHubble observa asteroide girando e se desfazendo em pedaços

6 meses atrás18 minEsta imagem do Telescópio Espacial Hubble revela a autodestruição gradual de um asteroide, cujo empoeirado material ejetado formou duas longas e finas caudas semelhantes a de cometas. A cauda longa se estende por mais de 800.000 quilômetros e tem cerca de 4.800 quilômetros de largura. A cauda mais curta tem cerca de um quarto do comprimento. Esses rastros acabarão por se dispersar no espaço. Crédito: NASA, ESA, K. Meech e J. Kleyna (Universidade do Havaí) e O. Hainaut (European Southern Observatory)

Imagem do Telescópio Espacial Hubble revela a autodestruição gradual de um asteroide.

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2018/04/Gaia_s_sky_in_colour_large.jpg

EspaçoESO anuncia que fará conferência de imprensa “para anunciar novas descobertas no coração da Via Láctea”

1 ano atrás4 minO observatório espacial Gaia da ESA criou esta imagem da Via Láctea e de suas galáxias vizinhas usando dados de sua abrangente pesquisa de estrelas, galáxias e aglomerados globulares. Os pesquisadores acreditam que os dados contribuirão para inúmeras descobertas durante sua análise futura. Crédito: ESA/Gaia/DPAC

Consórcio europeu de pesquisa de ponta em astronomia anuncia que fará uma conferência pública de imprensa para “apresentar observações únicas do centro da Via Láctea e sua importância”.   O Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), um consórcio internacional dedicado à pesquisa de ponta em astronomia, anunciou nesta quinta-feira (19) que irá fazer uma conferência de imprensa para divulgar resultados de observações do centro da Via Láctea. O evento será para “apresentar...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2018/04/vltmilkywaymoonpano-5961-final-cc-1280x683.jpg

EspaçoComo ondas gravitacionais podem ajudar a cosmologia fundamental

1 ano atrás14 minOndas gravitacionais podem ajudar os cosmologistas a medir a expansão do Universo.
Crédito: M. Claro / ESO

Novas observações podem nos ajudar a entender as discrepâncias nas medições da expansão do Universo. Editorial Nature1 A cosmologia já percorreu um longo caminho desde que Edwin Hubble determinou a taxa de expansão cósmica há cerca de 90 anos. Desde a década de 1990, várias técnicas independentes convergiram para valores muito inferiores aos do Hubble. Eles diferem em menos de 10%, mas as diferenças parecem ser estatisticamente significativas (3,7 de desvio padrão). Técnicas inovadoras, incluindo...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/12/eso1740a-1280x720.jpg

EspaçoMaternidade estelar que salta à vista

2 anos atrás13 minCrédito: ESO/M. Kornmesser

A região do céu que vemos nesta imagem encontra-se listada no catálogo Sharpless de regiões HII: nuvens interestelares de gás ionizado onde abunda a formação estelar. Também conhecida por Sh 2-29, a Sharpless 29 situa-se a cerca de 5.500 anos-luz de distância na constelação do Sagitário, próximo da maior Nebulosa da Lagoa. Esta região contém muitas maravilhas astronômicas, incluindo o local de formação estelar muito ativo da NGC 6559, a nebulosa que vemos no centro da imagem. A câmera OmegaCAM...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/11/eso1736a-1024x720.jpg

EspaçoNovo exoplaneta pode abrigar a vida, segundo o ESO

2 anos atrás21 minEsta concepção artística mostra o planeta temperado Ross 128 b com a sua estrela anã vermelha progenitora ao fundo. Crédito: ESO

Um novo exoplaneta foi acrescentado à lista de planetas de sistemas extrassolares que podem hipoteticamente abrigar a vida, informou o ESO. Um novo planeta é o mais novo candidato na busca por sinas de vida para além do Sistema Solar. O Observatório Europeu Austral (ESO, na sigla em inglês) informou nesta quarta-feira (15) ter descoberto o planeta Ross 128 b orbitando uma estrela localizada na constelação de Virgem distante de nós apenas 11 anos-luz, o que...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/08/galaaxx-1200x600.png

Uma equipe de astrônomos detectou, com o ALMA, sinais fortes de um íon hidreto de carbono (CH+) em áreas que cercam galáxia de surto de formação estelar (ou galáxias starburst). Esses tipos de galáxias apresentam uma formação de estrelas a uma taxa acelerada, e o CH+ pode nos ajudar a entender como. Essa primeira detecção de CH+ em galáxias distantes com formação estelar explosiva fornece novas pistas sobre a história da formação estelar do Universo. Uma equipe de astrônomos agora lança luz...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/07/ufo-2289563_1920-1280x720.jpg

Anos, séculos ou eras? Mil anos. Esse é o período mínimo de tempo que levaria para chegar à estrela mais próxima — Proxima Centauri, também chamada de Próxima do Centauro, Alpha Centauri C ou simplesmente Próxima — usando os métodos atuais. Mas desde que descobrimos que esta estrela abriga um planeta potencialmente habitável, confirmado pelo European Southern Observatory (ESO) ano passado, os cientistas ficaram mais entusiasmados do que nunca com a ideia de uma viagem interestelar. “É tentador”, disse Guillem Anglada-Escude, que liderou a equipe de pesquisa que...