HomeTagArquivos Cell - SoCientífica

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2018/02/d41586-018-01700-3_15446606.gif

NaturezaO primeiro peixe a caminhar pode nunca ter deixado os oceanos

2 anos atrás15 minLeucoraja erinacea recém-nascido caminhando, filmado por baixo. Crédito: Jung, Baek, Dasen et al./Cell

O peixe que anda sugere que o controle da locomoção evoluiu muito antes do que se pensava. Desenhos animados que ilustram a evolução descrevem os primeiros vertebrados adquirindo seus membros primordiais enquanto se deslocam para terra firme pela primeira vez à medida em que deixam seu ambiente aquático. Mas novas descobertas indicam que algumas dessas primeiras criaturas capaz de andar podem ter ficado mesmo debaixo de água, deixando descendentes que hoje apresentam comportamento ambulante no...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/10/20091008172638-1_0.jpg

De Elizabeth Pennisi para a Science Cada núcleo de células humanas está embrulhado com dois metros de DNA enrolados em torno de 46 cromossomos, em um arranjo parecido, na maior parte do tempo, com a confusão de um espaguete. Esse “macarrão” genético está em constante movimento à medida que se ajustam ao que a célula precisa fazer e esses ajustes colocam certos genes em contato para que eles possam trabalhar juntos. Agora, os pesquisadores visualizaram esta dança a intervalos de...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/06/Genome.jpg

Da equipe do ScienceAlert. E não é o que esperávamos. “Isso prejudica muito o que há nos livros didáticos”. Aqui está a prova de quão longe chegamos com a ciência – pela primeira vez, os pesquisadores registraram imagens de uma única molécula de DNA se replicando, e isso está levantando questões sobre como supomos o processo. As imagens em tempo real revelaram que esta parte fundamental da vida incorpora uma quantidade inesperada de aleatoriedade, e pode forçar...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/04/cefalopodes-bizarros5-1280x720.jpg

Da equipe da New Scientist e da Press Association Polvos e lulas confirmaram sua reputação de “aliens” terrestres com a descoberta de que podem editar suas próprias instruções genéticas. Ao contrário de outros animais, os cefalópodes — a família que inclui polvos, lulas e chocos, também chamados de sépias ou sibas — não obedecem aos comandos do seu DNA ao pé da letra. Em vez disso, eles às vezes interferem no código genético como se...