HomeTagArquivos Biologia - Socientífica

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/06/Estresse-em-humanos-pode-ser-refletido-em-cães-1280x720.jpg

Um estudo realizado pela Universidade Linköping e publicado no periódico Scientific Reports, conseguiu relacionar o aumento de estresse nos cães de acordo com o estresse de seus donos. A pesquisa leva como base os níveis de Cortisol nos cães e seres humanos do estudo. O hormônio é a principal medição do estudo pois está diretamente ligado ao estresse, além do controle do sistema imune e pressão arterial. Os dados do estudo mostram que a longo...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/06/Virus-gigante-1.jpg

Um novo estudo conduzido por pesquisadores da Woods Hole Oceanographic Institution (WHOI) e da Swansea University Medical School aprofunda nosso conhecimento sobre vírus – que vive no mar e em terra – e seu potencial para causar doenças que ameaçam a vida. Suas descobertas, que examinam genes recém-identificados, transportados por misteriosos vírus “gigantes”, podem representar novos alvos potenciais de drogas para vírus gigantes ligados a doenças humanas. O trabalho publicado esta semana em Proceedings of the National...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2018/02/Gryllus_campestris_male_4725285630-1280x720.jpg

NotíciaEvolução em tempo real: grilos silenciosos ainda “cantam” por companhia?

1 ano atrás1Os cientistas estão estudando os grilos para ver se seu canto silencioso cumpre outra função não detectada. (Foto: Gryllus campestris /Wikimedia Commons)

Cientistas ficam fascinados com o fato de que os grilos havaianos ainda realizam seu vigoroso chamado de acasalamento, apesar de terem evoluído para perder sua música a fim de evitar um novo parasita mortal. Os grilos silvestres machos tradicionalmente atraem alguma fêmea ao cantar — criando um som raspando ritmicamente suas asas para frente e para trás. No Havaí, no entanto, a música deles atrai fêmeas menos bem-vindas: moscas parasitas, cujas larvas devoram e matam...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2018/02/5a7e180f5946e-3.jpg

NotíciaAquário da Virgínia registra em vídeo nascimento de polvo

1 ano atrásO Virginia Aquarium & Marine Science Center, em Virginia Beach, divulgou uma filmagem do nascimento de um polvo de incubação no dia 06 de fevereiro (Aquário de Virgínia).

Um vídeo notável que mostra o nascimento de um polvo em um aquário da Virgínia foi visto mais de três milhões de vezes nas mídias sociais. A gravação mostra um bebê polvo da espécie Octopus briareus (caribbean reef octopus) que luta para sair de uma pilha de ovos entre flores. Quase imediatamente, as células da criatura incolor liberam pigmento, dando-lhe uma tonalidade acastanhada. Em seguida agita com seus minúsculos tentáculos e dispara na água. O aquário,...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/12/penis.jpg

NotíciaPor que cientistas estão estudando o pênis de um besouro?

1 ano atrásFonte: Yoko Matsumura, Alexander Kovalev, Stanislav N. Gorb/Science Advances

Os cientistas estudaram os genitais de um besouro em busca de lições sobre a resistência dos cateteres. O cateter e o pênis do besouro têm um problema comum: encontrar um caminho em espaços complicados sem quebrar ou colapsar. Agora, graças ao besouro-tartaruga Cassida rubiginosa, os cientistas podem ter uma solução para os dispositivos médicos. O órgão reprodutor do macho da espécie é longo e fino, mas graças à sua ponta macia e à sua base...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/12/cachorro-sorrindo-1280x720.jpeg

Cientistas da Universidade de Helsinque, Finlândia, descobriram que a oxitocina fez os cães interessarem-se em rostos humanos felizes. Esse hormônio também os fez ver faces irritadas como menos ameaçadoras. Associado ao carinho e à confiança, o hormônio oxitocina é provavelmente um fator chave na interação entre cães e humanos. Pesquisadores do projeto de pesquisa Canine Mind da Universidade de Helsinque descobriram que a oxitocina fez cães interessados em rostos humanos sorridentes. O hormônio também foi...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/09/General_EduRes_Heart_WhiteBloodCells-1280x720.jpg

Existem oito tipos comuns de sangue. A palavra-chave aí? Comum. Se o que você sabe sobre o sangue para por aí, então tudo isso vai mudar para melhor muito rapidamente. Há literalmente milhões de variedades de tipos de sangue, e a mais rara é compartilhada por menos de 45 pessoas na Terra. Vamos falar sobre o mais exclusivo. Fácil como A, B, O Os prós e contras dos tipos de sangue são muito mais complicados...

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/09/Sem-Título-1-1280x720.png

BiologiaPaleontologiaDomesticação dos cães: novo estudo vai na direção errada?

2 anos atrásEu gosto de acreditar que ele está pensando: "O quê?! A domesticação de cães pode voltar 40 mil anos e em um único evento?" — segundo um novo estudo publicado na Nature Communications — mas eu sei que ele está se perguntando quanto tempo ele tem que ficar sentado com olhar de "quero mais" antes de receber outro petisco. (Crédito William Zuback / Discover)

De Gemma Tarlach para a Discover Magazine Os cães são nossos primeiros amigos — eles já eram o único animal domesticado enquanto ainda éramos um grupo de caçadores-coletores. Mas apontar onde e quando a domesticação dos cães começou tem sido difícil. Com os recentes avanços na extração e no sequenciamento de DNA antigo (aDNA), é natural que os pesquisadores estejam apressados em responder a essas perguntas. Um estudo de 2016 ofereceu uma nova e impressionante hipótese sobre a...