HomeTagArquivos Astronomia - Socientífica

https://i2.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/12/extra_large-1513957669-cover-image.jpg?resize=1100%2C619&ssl=1

NotíciaEstranho asteroide em forma crânio retornará à Terra em 2018

1 ano atrásRepresentação artística do 2015 TB145 com base em imagem do Arecibo Observatory. Crédito: J. A. Peñas / SINC

Um asteroide que tem uma semelhança impressionante com um crânio humano vai passar na vizinhança da Terra no próximo ano. O mesmo visitante já passou por aqui no “dia das bruxas” de 2015. Chamado de 2015 TB145, o asteroide tem cerca de 625 a 700 metros de diâmetro e dá uma volta completa em torno do seu eixo imaginário uma vez a cada três horas aproximadamente. Ele passou pela vizinhança de nosso planeta em 31...

https://i0.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/11/Untitled-design.png?resize=560%2C315&ssl=1

“Cada átomo de oxigênio inspirado, cada átomo de cálcio nos ossos, assim como átomos de ferro e carbono na musculatura tiveram uma origem muito especifica: apenas o hidrogênio e o hélio (além do deutério e parte do lítio) foram formados no Big Bang, enquanto que os elementos químicos mais pesados foram todos sintetizados no centro das estrelas. (…) Com a morte de estrelas, o gás enriquecido desses elementos pesados foi lançado ao espaço, apenas para se...

https://i0.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/09/florence-800x533.jpg?resize=800%2C533&ssl=1

AstrofísicaAstronomiaUm asteroide passou perto da Terra em 1º de setembro — e ele veio acompanhado

2 anos atrásUma pedra gigante com o nome de Florence Nightingale passou pela Terra em 1º de setembro de 2017.
Observação: Imagem meramente ilustrativa

Uma enorme rocha espacial chamada Florence, de aproximadamente 4,4 quilômetros de diâmetro, passou zunindo pela Terra em cerca de 7 milhões de quilômetros no dia 1º de setembro. É o maior asteroide a passar perto da Terra em mais de um século. Os astrônomos descobriram o asteroide em 1981 e o nomearam de 3122 Florence, em referência à Florence Nightingale, fundadora da enfermagem moderna. Com base em uma reconstrução de sua órbita histórica, os astrônomos determinaram que...

https://i0.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/08/solar-eclipse-1920x1080.jpg?resize=1280%2C720&ssl=1

De Lina Tran para o NASA’s Goddard Space Flight Center No caminho do eclipse solar de 2017, dois pontos são de grande interesse para os observadores do evento: o ponto do maior eclipse e ponto de maior duração. Qual é a diferença? Durante o eclipse solar total em 21 de agosto de 2017, a sombra da Lua atravessará os Estados Unidos do Oregon para a Carolina do Sul em apenas uma hora e meia. Mas a sombra não...

https://i0.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/08/mat.jpg?resize=604%2C201&ssl=1

De Neel V. Patel para o Inverse Science É estranho pensar sobre a quantidade de pesquisa que passou a caracterizar a matéria escura enquanto ainda não a observamos. Mas os cientistas realmente sabem muito sobre matéria escura: ela representa quase 85% da massa total no universo e ela interage com a matéria “normal” apenas através da gravidade. No entanto, nunca fomos capazes de identificar o que ela é, exatamente, num sentido físico. Agora, pesquisadores da Universidade de Washington...

https://i2.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/08/PIA21422_hires.jpg?resize=600%2C300&ssl=1

ArteCiênciaQuando a arte se encontra com a astronomia

2 anos atrásAs ilustrações do sistema TRAPPIST-1 por Hurt e Pyle.

Artistas mostram como foi feito o processo de criação das artes conceituais do sistema TRAPPIST-1, cuja descoberta . Pode ser difícil visualizar algo que você não pode ver, por isso, quando a NASA anunciou o sistema TRAPPIST-1, eles sabiam que precisavam de grandes artistas para representar visualmente o novo incrível sistema. Por isso, Robert Hurt, um cientista visual da IPAC na Caltech com Ph.D. em astrofísica, e Tim Pyle, um produtor de multimídia especialista em efeitos...

https://i2.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2017/07/smallestever.jpg?resize=800%2C480&ssl=1

A menor estrela já medida foi descoberta por uma equipe de astrônomos liderada pela Universidade de Cambridge. Com um tamanho de apenas uma pequena parte maior do que Saturno, a força gravitacional na sua superfície estelar é cerca de 300 vezes mais forte do que os seres humanos sentem na Terra. A estrela é provavelmente tão pequena quanto as estrelas pode eventualmente ser, já que tem massa suficiente para permitir a fusão de núcleos de hidrogênio em hélio. Se fosse...