Connect with us

Hi, what are you looking for?

Espaço

Missão de reabastecimento da ISS não se completa

A agência espacial russa Roscosmos confirmou que uma espaçonave de reabastecimento Progress para a Estação Espacial Internacional foi perdida. A nave espacial, lançada do Cosmódromo de Baikonur no Cazaquistão nessa quinta-feira (01º) em um foguete Soyuz, experimentou uma anomalia em torno de seis minutos e meio de seu voo.

O centro de controle da missão russa informou nesta quinta-feira (01º de dezembro) que cargueiro Progress MS-04, missão de reabastecimento 65, foi destruído enquanto estava subindo rumo à Estação Espacial Internacional (ISS). A nave espacial de carga transportava cerca de duas toneladas e meia de suprimentos, entre combustível de foguete, alimentos, água e novos trajes espaciais para os tripulantes da ISS. O incidente ocorreu na atmosfera terrestre, pouco depois do lançamento da base no Cazaquistão, e as evidências apontam para um problema com a terceira fase do propulsor do Soyuz.

A agência espacial russa Roscosmos confirmou a destruição do cargueiro em um comunicado, dizendo que a espaçonave automatizada foi perdida quando voava a quase 190 quilômetros sobre a República de Tuva, uma remota divisão da Federação Russa localizada ao sul do país. Os controladores perderam a telemetria durante o acionamento do terceiro estágio do foguete Soyuz, quando a maioria dos fragmentos se incendiaram na atmosfera, informou a agência espacial russa.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

O foguete espacial Soyuz-U partiu do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, levando o cargueiro Progress. O horário do lançamento foi aproximadamente no momento em que a rotação da Terra fez com que a remota base de lançamento da Ásia Central estivesse quase alinhada com a trajetória do laboratório espacial, às 12h51min52(hora de Brasília, horário de verão) ou às 20h51min52 horário local de Baikonur (1451:52 GMT).

O vídeo acima mostra o lançamento, em 1º de dezembro de 2016, de um foguete Souyz-U em que o cargueiro russo Progress MS-04 (missão de reabastecimento não tripulada) subiria rumo à Estação Espacial Internacional partindo do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. A viagem do cargueiro com destino à ISS teria duração prevista de dois dias e entregaria cerca de duas toneladas e meia de alimentos e suprimentos aos membros da Expedição 50 a bordo da ISS. O Progress deveria acoplar automaticamente, em 3 de dezembro, ao Módulo de Serviço Zvezda para uma estadia de seis meses.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

O veículo de lançamento Soyuz, um foguete de três estágios, impulsionava o cargueiro a nordeste de Baikonur quando soltou seus quatro impulsionadores (primeiro estágio) em torno de dois minutos após a decolagem. Um escudo aerodinâmico que cobre os cargueiros espaciais Progress foi lançado fora alguns minutos depois, seguido pela separação do estágio núcleo da Soyuz (segundo estágio) e pela ignição do motor RD-0110 do terceiro estágio do foguete. Foi quando o controle da missão russa perdeu o contato com o foguete e com sua carga útil em torno de 6 minutos e 22 segundos, de acordo com a Roscosmos. Isso foi mais que dois minutos antes do programado para nave Progress entrar em órbita. O voo prosseguia normalmente até esse ponto, disseram autoridades russas.

Se tudo tivesse seguido a sequência de vôo de acordo com o planejado, o veículo de lançamento Soyuz-U deveria ter colocado a cápsula de carga Progress MS-04 em uma órbita preliminar a menos de nove minutos do voo. Em seguida, o cargueiro Progress MS-04 deveria ter estendido seus painéis solares e antenas de navegação, quase que imediatamente após a separação do estágio superior da Soyuz.

liftoff_1

O foguete Soyuz-U com a Progress MS-04 sendo laçando em sua missão malfadada em 1 de dezembro de 2016. Crédito: Roscosmos

A falta de telemetria da espaçonave deixou os controladores de terra lutando para verificar o status do cargueiro Progress. “Nossos astronautas e os cosmonautas russos estão seguros a bordo da estação”, informou a agência espacial estadunidense em um comunicado. “Os consumíveis a bordo da estação estão em bons níveis.” Em seguida, algumas horas após o lançamento, a astronauta Jessica Emir deu ao comandante da ISS, Shane Kimbrough, algumas “notícias não tão boas”.

“Rob Navias, um comentarista da NASA que cobria o lançamento, informou que havia alguma indicação de que a terceira etapa do foguete Soyuz e o transportador Progress podem ter se separado prematuramente”, informou o site Spaceflight Now. Informação não confirmada pela Roscosmos. Em situações anteriores como esta, as autoridades russas normalmente formam uma “Comissão Estatal” para investigar o ocorrido.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Histórico

O fracasso de lançamento desta quinta-feira marca a quarta vez em 25 meses que um cargueiro com abastecimento indo para a estação espacial ficou pelo caminho. Esta ocorrência de agora significa uma reviravolta na sorte para as viagens espaciais desstinadas ao laboratório de pesquisa internacional. Em quase 16 anos de missões de montagem e reabastecimento, de novembro de 1998 a outubro de 2014, somente uma missão à estação espacial falhou com outro lançamento da Soyuz / Progress, ocorrido em agosto de 2011.

Em outubro de 2014, um cargueiro Cygnus da empresa Orbital ATK caiu momentos depois de decolar, quando seu foguete Antares sofreu uma falha de motor. Depois, uma nave russa Progress saiu fora de controle após uma separação errada do seu foguete Soyuz, em abril de 2015. E mais recentemente, um foguete Falcon 9 da SpaceX se desintegrou em pleno ar com uma cápsula de logística Dragon em um lançamento em junho de 2015.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

A próxima missão de reabastecimento

Parte veículo de transporte de combustível para ISS, parte nave de reabastecimento de suprimentos, e parte “rebocador de ânimo” para a tripulação, a nave espacial cargueira Progress estava embarcando em uma perseguição à ISS de dois dias, com uma série de manobras orbitais planejadas antes de apontar o seu encaixe automatizado para o módulo de serviço Zvezda, inicialmente programado para o sábado dia 03, por volta de 14h43 minutos em Brasília (ou 11:43 a.m. EST / 1643 GMT).

O informativo oficial sobre carregador de suprimentos incluía 2.442 kg de carga, um valor que engloba 710 kg de propelente que seria bombeado para os tanques de combustível do módulo Zvezda, 420 quilogramas de água doce, 52 quilogramas de oxigênio, e 1.260 quilogramas de carga seca dentro de sua cabine pressurizada, de acordo com informações fornecidas no site da agência espacial russa. Essa missão de reabastecimento para a Estação Espacial Internacional é a 65ª do cargueiro Progress desde 2000, e o terceiro voo da Progress no ano.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
fueled_11-22-11_1

A espaçonave de abastecimento Progress MS-04 sendo instalada em sua carenagem de lançamento (mostrada à esquerda na foto) de acesso dentro do prédio de processamento no Site 254 em 22 de novembro de 2016. Crédito: RKK Energia

Outra missão de reabastecimento deve ser lançada para a estação espacial no dia 9 de dezembro, quando um cargueiro japonês partirá com mais experimentos, provimentos e seis baterias de íon de lítio para iniciar uma ampla revisão do sistema de energia no módulo dos EUA no laboratório orbital.

Segundo a NASA, o cargueiro Progress não estava carregando nenhum suprimento crítico para o Segmento Operacional dos Estados Unidos (USOS) da estação espacial. A próxima missão programada para entregar carga para a ISS será em um Veículo de Transferência H-II-6 (HTV) da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA).

pad_1

O foguete Soyuz-U com o cargueiro Progress MS-04 logo após a chegada na plataforma de lançamento N ° 5 no Site 1 cosmódromo em Baikonur. Cazaquistão. Crédito: Roscosmos

Imagem do post: a espaçonave russa Progress 62 se aproxima da Estação Espacial Internacional em 1º de julho de 2016. Crédito da imagaem: NASA

Com informações de Spaceflight NowNASARoscosmos

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Avatar
Publicado por

Mestrando em Estudos Ambientais pela UCES, Buenos Aires. Graduado em Engenharia Civil e pós-graduado em Gestão Pública e Controladoria Governamental. Com interesse por ciência, tecnologia, filosofia, desenvolvimento sustentável e diversas outras áreas do conhecimento humano.

Faça um comentário

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...

Plantas & Animais

Raças menores de cães geralmente apresentam comportamentos mais instáveis. Pode haver, portanto, diversos motivos para cachorros pequenos serem ferozes.