Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Caihong juji: o dinossauro jurássico parecido com ave que tinha penas com as cores do arco íris

Caihong juji viveu na China a cerca de 161 milhões de anos atrás e pode ter usado suas impressionantes penas para atrair companheiros. (Crédito da imagem: Velizar Simeonovski, Field Museum.)

A descoberta de que alguns dinossauros eram plumosos, não coriáceos, significa que devemos repensar com o que eles se pareceriam — e agora há evidências de que pelo menos um dinossauro poderia ter sido tão brilhantemente colorido quanto alguns dos pássaros atuais.

Os dinossauros antigos foram adornados de maneiras surpreendentes, desde os chifres dos triceratops até as placas e espigões do stegosauruse penas. Um fóssil de dinossauro semelhante a um pássaro, recentemente descoberto na China, contém evidências que poderiam adicionar um novo acessório à lista: um desgrenhado colar de penas brilhantes coloridas cujas cores são as do arco-íris.

Ilustração de uma reconstrução artística em computador do dinossauro iridescente que tinha penas de arco-íris chamado Caihong juji, desenterrado na China. Crédito: Ilustração de Velizar Simeonovski, The Field Museum

Ilustração de uma reconstrução artística em computador do dinossauro que tinha um colar de penas iridescentes chamado Caihong juji, desenterrado na China. Crédito: Ilustração de Velizar Simeonovski, The Field Museum

Uma equipe de pesquisadores, incluindo cientistas da Universidade do Texas (UT) em Austin, são os primeiros a realizar um estudo aprofundado sobre o dinossauro e descrevê-lo. Eles o apelidaram de Caihong juji — um nome que significa “arco-íris de crista grande” em mandarim — e concluíram que o dinossauro usou suas chamativas penas no pescoço e uma crista óssea no focinho para atrair companheiros.

“A coloração iridescente é bem conhecida por estar ligada à seleção e sinalização sexual, e relatamos suas primeiras evidências em dinossauros”, disse Julia Clarke, professora do Departamento de Ciências Geológicas da UT Jackson School of Geosciences que ajudou a descrever a nova espécie. “O dinossauro pode ter um apelido fofo em inglês, Rainbow (arco-íris), mas tem sérias implicações científicas”.

Continua depois da publicidade

Uma descrição do dinossauro Caihong juji, que era do tamanho de um galinha e estava requintadamente preservado, foi publicada no dia 15 de janeiro na revista Nature Communications. Dongyu Hu, professor da Faculdade de Paleontologia da Shenyang Normal University, liderou o estudo.

O crânio longo e estreito do dinossauro é semelhante ao de um Velociraptor, uma forma única que é comum entre outros dinossauros semelhantes a pássaros. A barra de escala tem 1 centímetro de comprimento. (Hu, et al., 2018).

O crânio longo e estreito do dinossauro é semelhante ao de um Velociraptor, uma forma única que é comum entre outros dinossauros semelhantes a pássaros. A barra de escala tem 1 centímetro de comprimento. (Hu, et al., 2018).

Além de tornar os ecossistemas jurássicos há mais de 161 milhões de anos mais coloridos, o dinossauro é interessante, porque tem características antigos e modernas, disse o coautor Xing Xu, professor da Academia de Ciências de Chinesas. A crista óssea é uma característica geralmente vista em dinossauros de eras anteriores, enquanto suas penas de pescoço mostram evidências de pacotes microscópicos largos, planos, contendo pigmento ou melanosomas, que podem representar a primeira ocorrência conhecida de iridescência semelhante à encontrada em uma variedade de espécies de beija-flores que vivem hoje.

“Há cristas associadas à seleção sexual mais antigas de conhecidos dinossauros anteriores, e ainda há também o conhecimento pela primeira vez do aparecimento de mecanismo de pássaros sinalizando ou se exibindo”, disse Clarke, que coliderou o estudo com Hu e Xu.

Caihong juji se prepara para arrebatar sua presa. (Caihong_juji, novataxa 2018: Hu, Clarke, Eliason,_Qiu, Li et al. Paleoarte: Zhao Chuang)

Caihong juji se prepara para arrebatar sua presa.
(Caihong_juji, novataxa 2018: Hu, Clarke, Eliason,_Qiu, Li et al. Paleoarte: Zhao Chuang)

O Caihong juji também é o primeiro dinossauro conhecido com penas assimétricas, o tipo de pena encontrado nas pontas das asas de pássaros modernos que ajudam a controlar o voo. Mas, ao contrário dos pássaros hoje, as penas assimétricas de Caihong estavam em sua cauda, e não em suas asas — uma descoberta que sugere que os primeiros pássaros podem ter tido um estilo diferente de direcionamento do voo.

“As penas da cauda são assimétricas, mas as penas da asa não, uma característica bizarra anteriormente desconhecida entre os dinossauros, incluindo os pássaros”, disse Xu. “Isso sugere que o controle [de voo] pode ter evoluído pela primeira vez com penas da cauda durante algum tipo de locomoção aérea”.

Continua depois da publicidade

A placa de pedra da província chinesa de Hebei, onde o fóssil do dinossauro foi descoberto por um fazendeiro em 2014, continha um esqueleto quase completo, cercado de impressões feitas por penas. As impressões preservaram a forma dos melanossomos (os melanossomos ou melanossomas dão força e resistência as penas para que suportem os voos).

Essa não foi a primeira vez que melanosomas foram descobertos em fósseis. O próprio dinossauro alado Archaeopteryx, um fóssil descoberto em um depósito de pedra calcária na Alemanha em 1861 tinha penas pretas e favoráveis para o voo. “Foi assim que as penas de voo modernas evoluíram há 150 milhões de anos, no período jurássico, disse o líder do estudo de 2012 sobre os melanossomos encontrados no Archaeopteryx, Ryan Carney, biólogo evolutivo da Brown University em Providence, Rhode Island. “Não podemos provar que o Archaeopteryx era um animal voador. O melanossomo, também encontrado nas penas das aves modernas, proporciona maior resistência ao voo, razão pela qual as penas da asa são as áreas mais prováveis de serem pigmentadas”, disse Carney.

Continua depois da publicidade

Neste estudo sobre o Caihong juji, os pesquisadores compararam as impressões melossomáticas aos melanossomos encontrados em aves vivas e descobriram que elas se assemelhavam mais às das penas brilhantes com as cores do arco-íris dos beija-flores, as chamadas penas iridescentes.

O Caihong juji faz parte de um grupo de pequenos dinossauros semelhantes a pássaros que viveram na China durante o Jurássico, disse Xu, mas ele se destaca mesmo entre os seus parentes mais próximos. Enquanto os outros dinossauros possuíam crânios triangulares e ossos longos do antebraço, em comparação com os pássaros, o Caihong tinha um crânio comprido e estreito e, ao contrário de muitos outros dinossauros, seus membros anteriores curtos mostram proporções mais parecidas com as dos pássaros modernos.

“Essa combinação de características é incomum”, disse Clarke. “Ele tinha um crânio baixo e longo com aparência de um velociraptor com este tipo de aparência vistosa de penas totalmente desgrenhadas e com uma grande cauda de ventilador. É muito legal … ou talvez uma aparência assustadora, dependendo da sua perspectiva”.

Continua depois da publicidade

O próximo passo é descobrir quais fatores influenciaram Caihong a evoluir um aspecto tão distinto, penas iridescentes e tudo, disse o coautor Chad Eliason, um associado pós-doutorado no Field Museum of Natural History. Ele ajudou a analisar a evidência fóssil microestrutural de cor no novo espécime enquanto ele era pesquisador pós-doutorado na UT Jackson School of Geosciences.

O bloco de pedra contendo o fóssil de dinossauro incluiu um esqueleto quase completo (marrom), bem como impressões de penas (preto). (Crédito: Hu, et al., 2018)

O bloco de pedra contendo o fóssil de dinossauro incluiu um esqueleto quase completo (marrom), bem como impressões de penas (preto). (Crédito: Hu, et al., 2018)

Esta combinação de traços antigos e novos, disse Eliason, é evidência da evolução em mosaico, o conceito de diferentes traços evoluindo independentemente um do outro.

“Esta descoberta nos dá uma visão de quão rápida essas características estavam evoluindo no tempo”, acrescentou.

Quanguo Li, professor da Universidade de Geociências da China em Pequim e Matthew D. Shawkey, professor associado da Universidade de Ghent na Bélgica também participaram do estudo. A pesquisa foi financiada pelo U.S. National Science Foundation e pela National Science Foundation da China.

Continua depois da publicidade

Texto traduzido e adaptado de “Tiny Dinosaur May Have Dazzled Mates with Rainbow Ruff and a Bony Crest” publicado no site da The University of Texas at Austin.

Referências:

  1. HU, Dongyu et al. A bony-crested Jurassic dinosaur with evidence of iridescent plumage highlights complexity in early paravian evolution, Nature Communications 9, Article number: 217 (2018). DOI:10.1038/s41467-017-02515-y
  2. University of Texas at Austin. “Tiny Dinosaur May Have Dazzled Mates with Rainbow Ruff and a Bony Crest” Disponível em: https://news.utexas.edu/2018/01/15/dinosaur-may-have-dazzled-mates-with-rainbow-ruff Acesso em 09 de fevereiro de 2018.
Comentários

Populares hoje

Saúde & Bem-Estar

Uma empresa israelense chamada CorNeat Vision desenvolveu uma córnea sintética e permitiu a um homem de 78 anos, cego há dez anos, recuperar totalmente...

Tecnologia

Muitos especialistas em estratégia militar alertam que as guerras do futuro não serão terrestres, mas confrontos sob o signo da inteligência artificial e do...

História & Humanidade

Os sapiens não são a única espécie humana que já circulou pela Terra, embora hoje só nós estejamos vivos. Fora os sapiens, a espécie...

História & Humanidade

Nós possuímos, em nosso DNA, registros de um ancestral misterioso, que acasalou com espécies humanas há aproximadamente um milhão de anos.