NaturezaPíton engole crocodilo gigante inteiro; imagens surpreendentes

Um homem capturou as fotografias macabras enquanto explorava um pântano em Queensland, Austrália.
Redação2 semanas atrásOs pítons de oliva só são encontrados na Austrália (Cortesia de Martin Muller e GG Wildlife Rescue Inc.)
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/07/olive-python-crocodile_03_2019-07-05.jpg

Durante uma recente viagem ao Monte Isa, em Queensland, o caiaque de Martin Muller se deparou com uma visão macabra: uma píton se banqueteava com um crocodilo de água doce australiano que tinha acabado de espremer até à morte.

Naturalmente, Muller puxou a câmera e começou a fotografar.

As fotografias, publicadas no Facebook pela organização australiana sem fins lucrativos GG Wildlife Rescue Inc., mostram a cobra enrolando seu corpo ao redor do pobre crocodilo, abrindo suas mandíbulas elásticas e engolindo sua presa inteira. Em várias fotos, o crocodilo parece ter desaparecido completamente pela garganta da píton, mas após uma inspeção mais detalhada, os espectadores podem discernir a ponta da cauda do animal espreitando pela boca da cobra. Outras cenas inquietantes incluem imagens da píton inchada, seu corpo esticado para acomodar o corpo do crocodilo, após-refeição.

LEIA TAMBÉM: Como o tubarão sobreviveu a incríveis quatro extinções em massa

Como relata Stephanie Pappas, da Live Science, as pítons não são exatamente conhecidas por seu paladar discriminante. Como predadores ambiciosos, essas cobras são conhecidas por jantarem presas muito variadas, como veados, impalas, porcos-espinhos, pombos, cabras, e em, alguns casos, até humanos.

SSSSssssssssensational 💚🐊 🐍 Amazing pictures of an olive python Australis 2nd largest snake & Western Australia's…

Geplaatst door GG Wildlife Rescue Inc op Vrijdag 31 mei 2019

“É comum que elas comam praticamente qualquer coisa se puderem colocar na boca”, diz a proprietária da GG Wildlife Rescue Inc., Michelle Jones, ao Daily Mail Australia.

Crocodilos e jacarés realmente acabam nas bocas das pítons com relativa frequência: Em 2005, uma píton birmanesa falecida foi encontrada nos Everglades da Flórida com um jacaré americano saindo de seu estômago, e em 2014, uma píton de oliva – a mesma espécie fotografada por Muller – foi capturada por uma câmera matando e comendo um crocodilo de água doce em um lago perto do Monte Isa. Todo o processo levou cerca de cinco horas.

As pítons de oliva só são encontradas na Austrália. Nessa imagem é possível observar a cobra que se banqueteava com um crocodilo australiano. (Cortesia de Martin Muller e GG Wildlife Rescue Inc.)

De acordo com Shannon Mason, do New York Daily News, as pítons confrontam-se regularmente com crocodilos de água doce. As cobras australianas nativas medem cerca de 13 pés de comprimento. No entanto, os crocodilos, que são “pequenos pelo seu gênero”, medem de 1 a 2 metros de comprimento e podem atingir até 3 metros.

LEIA TAMBÉM: Crocodilos vegetarianos viveram nos antigos cursos de água da terra.

Ao contrário da crença popular, as pítons não desprendem as mandíbulas para engolir vítimas enormes. Em vez disso, Corey Binns descreve em um artigo separado da Live Science, que as cobras utilizam duas mandíbulas inferiores que se movem independentemente uma da outra, mas estão conectadas por um ligamento elástico. Uma vez que uma píton tem suas mandíbulas esticadas agarradas em torno de um alvo, ela comprime seus músculos para simultaneamente contrair e engolir presas. Segundo a Sociedade Herpetológica de J.P. Dunbar, da Irlanda, o conjunto de movimentos usados para enviar uma vítima pela garganta de uma pitoneira é conhecido como a “caminhada pterigoide”; essencialmente, a cobra simplesmente “caminha com a cabeça sobre a refeição”.

O passo final na festa da cobra é a digestão. Como escreve o Pappas da Ciência Viva, sabe-se que os animais alteram o seu metabolismo depois de comerem, aumentando o tamanho dos órgãos internos, incluindo os intestinos, o coração e o pâncreas, para controlar o influxo de calorias. Embora as cobras possam digerir todos os ossos, carne e órgãos das vítimas, elas tendem a excretar partes do corpo ricas em queratina e esmalte, como escamas e dentes.

FONTE: See a Python Swallow a Crocodile Whole [Smithsonian]