TecnologiaUm holograma 3D que pode interagir e ser tocado como em Star Wars!

O dispositivo permite exibir hologramas animados em 3D que podem conversar e interagir com os espectadores, além de simular o toque!
Milena Elísios4 semanas atrás
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/11/Holograma-star-wars.jpg

Uma equipe de pesquisadores da universidade de Sussex desenvolveu um dispositivo que exibir holograma um 3D animado que pode conversar e interagir com os espectadores. Mas não é só isso, o dispositivo revelado em um artigo publicado na Nature, permite que você possa tocá-lo e ouvi-lo através do uso de uma bola de poliestireno. Essa tecnologia incrível parece ter saído dos filmes de ficção científica!

LEIA TAMBÉM: Cientistas brasileiros criam nova tecnologia capaz de exibir hologramas incrivelmente realistas

O sistema funciona com duas placas localizadas uma abaixo e outra bem acima da tela, contendo grades de alto-falante que emitem ultra-som. Estes criam uma bolsa de ar que retém a bola de poliestireno que é levitada. Ao manipular o ultrassom, os pesquisadores conseguiram mover a bola em alta velocidade criando um efeito incrível!

As primeiras manifestações mostram uma borboleta batendo as asas, uma contagem regressiva com figuras suspensas no ar e um planeta em rotação. © The Guardian.

LEIA TAMBÉM: Nossa realidade pode ser um holograma criado pela física quântica

Podendo se mover a uma velocidade de até 8,75 metros por segundo, ou cerca de 32 km / h, uma única bola de 2 mm de diâmetro desenha a forma do objeto a ser exibido no ar com rapidez suficiente que o cérebro humano perceba apenas um objeto contínuo. Em seguida, é iluminado por LEDs coloridos para produzir a imagem final.

Um globo criado pelo Multimodal Acoustic Trap Display desenvolvido na Universidade de Sussex (Imagem: Eimontas Jankauskis / Nature)

Os também pesquisadores também foram capazes de produzir sons vibrando a bola de poliestireno. Ao evitar o uso de alto-falantes integrados na base do sistema, o som sai diretamente do objeto, o que aumenta muito o efeito do realismo. O dispositivo também usa o ultrassom para criar efeitos táteis, estimulando a pele, o que dá impressão de poder tocar os objetos.

O artigo científico foi publicado na Nature.

FONTE / The Guadian