FísicaPesquisadores criam projeto para bateria quântica que nunca perde carga

Incrível!
Milena Elísios1 mês atrás(Garik Barseghyan / Pixabay)
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/11/Bateria-quântica.jpg

Uma equipe de cientistas das universidades de Alberta e Toronto preparou os planos para o que seria uma “bateria quântica” que nunca poderia perder sua carga. Para deixar claro, essa bateria ainda não existe, mas se eles descobrirem como montá-la, poderá ser uma inovação revolucionária no armazenamento de energia.

“Uma bateria quântica é uma minúscula bateria de tamanho nano destinada a ser usada em aplicações na escala nano”, explicou o químico, Gabriel Hanna, que foi o principal pesquisador do estudo.

LEIA TAMBÉM: Braço robótico inspirado em Luke Skywalker permite amputado mover e sentir o braço

Ele disse que a pesquisa fornece uma demonstração teórica a partir de simulações numéricas, de que a criação de uma bateria quântica sem perdas é completamente possível, o que oferece muitas vantagem sobre as baterias quânticas propostas anteriormente.

“As baterias com as quais estamos mais familiarizados – como a bateria de íons de lítio que alimentam seu smartphone – baseiam-se em princípios eletroquímicos clássicos, enquanto as baterias quânticas dependem apenas da mecânica quântica”, observou Hanna.

Os pesquisadores descobriram que o modelo de bateria resultante deveria ser “altamente robusto às perdas de energia”, graças ao fato de a bateria ser preparada dentro de um “estado escuro”, onde não pode trocar energia – absorvendo ou liberando fótons – com o ambiente. Ou seja, isso significa que uma bateria sem nenhuma perna energética em breve estará ao nosso alcance, revolucionando as novas tecnologias.

LEIA TAMBÉM: Nova tecnologia promete fornecer energia e água potável a milhões de pessoas

Um documento que descreve a pesquisa foi publicado no Journal of Physical Chemistry C. no início de julho. A bateria funciona aproveitando o poder da “energia excitônica” – o estado em que um elétron absorve fótons de luz suficientemente enérgicos.

Em breve, pesquisas futuras vão explorar formas viáveis ​​de carregar e descarregar a bateria, bem como formas de ampliá-la para uso em aplicações práticas.

FONTE / Phys

Posts relacionados