AmbienteEste misterioso fogo está queimando há 6.000 anos

https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/10/Este-misterioso-fogo-está-queimando-há-6.000-anos.jpg

Você provavelmente já ouviu falar do fogo de gás de carvão que flameja incontrolavelmente sob a agora abandonada cidade de Centralia na Pensilvânia, EUA – a cidade em que o assustador videogame e filme Silent Hill foi baseado.

Mas, embora seja perturbador, este incêndio só tem ardido nos últimos 53 anos – um piscar de olhos quando se considera que na Austrália um incêndio semelhante tem ardido por cerca de 6.000 anos, muito antes de o país ter sido colonizado pelos europeus.

Visível apenas como um vapor fétido, o brasão de carvão está contido 30 metros abaixo da superfície do Monte Wingen (que significa “fogo” na língua aborígine local) ou Burning Mountain, localizado no estado de Nova Gales do Sul. E é oficialmente o fogo mais antigo do planeta, que conhecemos pelo menos.

Ninguém sabe ao certo o que primeiro acendeu o fogo do depósito de carvão, mas de acordo com as histórias do tradicional povo Wanaruah, ele tem sido usado por grupos aborígines por milhares de anos para aquecer, cozinhar e ajudar a fazer ferramentas.

Burning Mountain, em 2006.

Foi descoberto pela primeira vez pelos colonos europeus em 1828, quando foi falsamente assumido que o calor era causado pela atividade vulcânica.

De acordo com Sarah Zhang, do Gizmodo, a ignição: “Poderia ter sido um relâmpago, incêndio florestal, combustão espontânea, ou até mesmo práticas aborígines de queima poderiam até ter sido a centelha inicial.

Embora não seja uma área muito habitável, a região agora se tornou uma atração turística, com temperaturas de superfície de cerca de 350 graus Celsius e o cheiro de enxofre ácido sendo liberado.

Mas apesar de ser uma coisa muito nova de se ver, fogos como este não são raros.

É provável que muitos desses fogos continuem a queimar durante muito tempo. Como Guillermo Rein, um especialista em incêndios subterrâneos da Universidade de Edimburgo, na Escócia, disse a Andrew C. Revkin do New York Times, eles são praticamente impossíveis de apagar:

“Os incêndios latentes, a combustão lenta, de baixa temperatura e sem chama, são um fenômeno importante no sistema terrestre e o tipo de combustão mais persistente. Os combustíveis mais importantes envolvidos nos incêndios por combustão lenta são o carvão e a turfa. Uma vez acendidos, estes incêndios são particularmente difíceis de extinguir, apesar de chuvas intensas, mudanças climáticas ou tentativas de combate a incêndios, e podem persistir por longos períodos de tempo (meses, anos), espalhando-se profundamente (5 metros) e por extensas áreas de subsuperfície florestal.”

“De fato, os fogos em combustão lenta são os mais longos fogos em combustão contínua na Terra”.

FONTE / ScienceAlert