História & HumanidadeO mistério da múmia budista de 164 anos que parece desafiar a ciência

Alguns afirmam que o monge ainda está vivo, porém em estado de hibernação, semelhante ao nirvana. 
Milena Elísios2 semanas atrásMuitos acreditam que o lama permanece vivo em um estado semelhante ao nirvana. (Foto: The Siberian Times.)
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/10/Múmia-budista-3.jpg

A múmia de lama Itiligov, na República da Buriácia, na Sibéria, é internacionalmente famosa porque sua excepcional preservação, 79 anos após sua morte, parece desafiar a ciência. Muitos acreditam que o monge permanece vivo em um estado de Nirvana.

LEIA TAMBÉM: Menino acidentalmente encontra ovos de dinossauros de 66 milhões de anos

Nascido em 1852, o lama Itiligov se destacou na vida espiritual da Rússia czarista imediatamente antes da Revolução Bolchevique. Ele participou das celebrações tercenárias da Casa de Romanov em 1913 e abriu o Datsan Gunzechoinei, o primeiro templo budista em São Petersburgo. O famoso lama veio a falecer em 1927, com 85 anos, um ano depois de avisar aos monges budistas que deixassem a União Soviética, pois ficariam impressionados com o “ensino dos vermelhos”. Seu pedido último pedido foi ser enterrado na posição de lótus, na qual ele havia morrido.

lama Itigilov em posição de lótus dentro do sarcófago de seu vidro especial. (Imagem: Vasily Tatarinov, Datsan Photoshare)

O corpo que não se decompõe

Quando seus restos mortais foram examinados em 1955 e novamente em 1973, os monges daquela época ficaram surpresos ao não notar sinais de decadência. Eles mantiveram sua descoberta escondida das autoridades soviéticas. 

Os restos do monge budista foram encontrados “na condição de alguém que havia morrido 36 horas atrás”, extraordinariamente bem preservados e sem grandes sinais de deterioração. (Imagem: REN.tv, The Siberian Times)

Em 2002, o corpo de Itigilov foi exumado novamente na presença dos líderes da Sangha Tradicional Budista da Rússia. Os restos mortais foram examinados de perto por monges, cientistas e patologistas. E de acordo com relatos das observações, os restos foram encontrados “nas condições de alguém que morreu há apenas um dia e meio”, extraordinariamente bem preservados e sem sinais de deterioração. Músculos e tecidos internos, articulações moles e pele permaneceram intactos.

As teorias

Muitos alegaram que o lama pode ter sido preservado em sal, e que isso justificaria a conservação. Outros afirmam que ele ainda está vivo, porém em estado de hibernação, semelhante ao nirvana. 

LEIA TAMBÉM: Receita para embalsamar múmias antecede faraós

O lama Itigilov fica dentro do sarcófago de vidro especial localizado no segundo andar de seu ‘palácio’.

FONTE / The Siberian Post

Posts relacionados