NaturezaPescador perde grande parte da perna ao ser atacado por tubarão

Milena Elísios2 semanas atrás
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/10/Pescador-atacado-por-tubarão-2.jpg

Um pescador de Dawin na Austrália, que estava com seus amigos em pier, acabou fisgando um tubarão, então seu amigo desceu para o nível mais baixo do píer e para ajudar a tirar o animal de mais de um metro de dentro da água.

Os dois homens conseguiram remover o grande peixe da água, no entanto, quando o Jamie Hall agarrou o tubarão pela cauda, ​​ele girou e agarrou-se a sua perna, uma mordida feroz.

LEIA TAMBÉM: Mordidas de tubarões são realmente mais mortais na Austrália

o Sr. Hall disse que o tubarão tinha pelo menos um metro de comprimento, mas não tem a mínima ideia de qual seria a sua espécie. Ele apenas acrescentou que a criatura era de cor bronze.

Ele disse: “Esse tipo de tubarão tinha uma boca maior”.

Ao ser perguntado sobre a razão de tentar capturar o animal, Hall respondeu que estava pensando em dar o tubarão a um amigo que fazia jóias com seus esqueletos.

Após o ataque, o pescador conta que não achou que fosse tão grave, então entrou na água novamente e lavou a ferida, em vez de procurar ajuda em um hospital. Por sorte um de seus amigos, que ficou extremamente preocupado decidiu chamar uma ambulância.  Quando a ambulância chegou, ele foi transportado para o Royal Darwin Hospital, onde foi atendido e tratado. A mordida foi tão séria que ele passou duas noites se recuperando em uma enfermaria, o risco de contrair uma infecção era enorme, mas ele se recurou bem.

LEIA TAMBÉM: Mulher é puxada para água ao tentar alimentar tubarões

“Eles removeram a pele morta e a encheram de pedaços e depois embrulharam e pronto, foi isso”, disse Hall, enquanto já planejava a próxima viajem de pesca. “Eu peguei um punhado de tubarões lá antes e nunca fui mordido por um, então você sabe, quais são as chances disso acontecer novamente?”

Darwin é a capital do Território ao Norte da Austrália, onde há o maior índice de ataques fatais de tubarões.

FONTE / Express