NaturezaCom 300 dentes e cabeça de cobra, esse é o tubarão mais raro e antigo da Terra

É possível que esse tubarão possa ter inspirado diversos contos sobre serpentes e monstros marinhos.
Milena Elísios3 semanas atrás(Parque marinho de Awashima)
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/09/Tubarão-frilled-2.jpg

Aproximadamente 95% dos oceanos permanece inexplorado até hoje, praticamente dia sim, dia não é descoberta uma nova espécie de animal marinho na Terra. Isso inclui a descoberta do tubarão mais raro e antigo conhecido na Terra.

Em novembro de 2017, uma equipe de pesquisadores europeus vasculhava os oceanos, na tentativa de descobrir uma forma de minimizar as capturas indesejadas na pesca comercial, mas eles acabaram fazendo uma descoberta absolutamente incrível e não menos importante: eles se depararam o mais antigo e raro tubarão já descoberto, o tubarão-cobra (Chlamydoselachus anguineus).

Um tubarão-cobra filmado e capturado por um pescador no Japão.

LEIA TAMBÉM: Tubarões enormes atacam submarino de pesquisa

Com a cabeça semelhante a uma cobra e um focinho curto que abriga cerca de 300 dentes afiados como agulhas que alinhados em 25 fileiras ordenadas, o tubarão-cobra ou tubarão-enguia, foi considerado extinto por muito tempo, mas até hoje se sabe muito pouco sobre esse estranho habitante das profundezas. É completamente possível que esse enigmático tubarão possa ter inspirado diversos contos do século XIX sobre serpentes e monstros marinhos.

LEIA TAMBÉM: Comissão do governo da Islândia anuncia que existe lendário monstro marinho

Um tubarão-frilled e suas 25 fileiras de dentes afiados.

O tubarão-frilled parece praticamente o mesmo desde o rompimento da Pangeia, na era Paleozoica, entre 200 e 540 milhões de anos atrás. Ele se alimenta principalmente de outros tubarões, peixes, polvos e lulas, possui uma anatomia notavelmente simples, provavelmente devido à falta de nutrientes em seu ambiente aquático. Mas não há resposta definitiva sobre como e por que ele sobreviveu a seus contemporâneos, os cretáceos.

LEIA TAMBÉM: Mulher é puxada para água ao tentar alimentar tubarões

De tempos em tempos, os cientistas partem para ver o que está nadando em regiões inexploradas do mar, onde escuridão é perpétua, a pressão é esmagadora e as temperaturas são inóspitas, e então, usam a Internet para mostrar ao mundo suas descobertas estranhas, assustadoras e incrivelmente fascinantes.

Essas descobertas por enquanto, continuam sendo um lembrete cada vez mais frequente de que alguns dos seres mais assustadores e misterioso existentes na Terra, provavelmente estão flutuando sob o que parece ser uma superfície serena do oceano.

FONTES / BBC / The Washington Post