NaturezaCanhotos são melhores em linguística pois seus cérebros se desenvolvem de forma diferente

Redação1 semana atrás5 min
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/09/Canhotos.jpg

Em uma pesquisa recente descobriu-se quatro áreas genéticas que podem causar o canhotismo, e também podem ser a razão pela qual os canhotos possuem algumas competências linguísticas superiores.

LEIA TAMBÉM: AIDS: descoberta uma segunda mutação genética resistente ao HIV

O estudo em questão não conseguiu identificar nenhum gene específico para os canhotos, mas foi capaz de isolar certas áreas dentro do genoma humano.

 Os pesquisadores descobriram que a mão esquerda pode ser um subproduto de como o cérebro se desenvolve no útero, assim como os microtúbulos do corpo. Que são estruturas que fazem parte do citoesqueleto das células, uma espécie de andaime interno que faz a maior parte do trabalho pesado dentro das células humanas.

LEIA TAMBÉM: Pesquisadores chineses criam tecnologia segura de edição genética que evita preocupações éticas

“Descobrimos que, em participantes canhotos, as áreas de linguagem dos lados esquerdo e direito do cérebro se comunicam de uma maneira mais coordenada.” Afirmou o Dr. Akira Wiberg, membro do Conselho de Pesquisa Médica da Universidade de Oxford, que realizou as análises.

“Isso levanta a intrigante possibilidade de pesquisas futuras sobre a possibilidade de os canhotos terem uma pequena vantagem quando se trata de executar tarefas verbais, mas deve-se lembrar que essas diferenças foram vistas apenas como médias de um número muito grande de pessoas e nem todos os canhotos serão semelhantes.” Completou ele.

LEIA TAMBÉM: Vírus geneticamente modificado combate câncer de próstata

Estudos feitos anteriormente mostram que cerca de uma em cada dez pessoas é canhota e um quarto dos casos possuem os genes.

“Cerca de 90% das pessoas são destras, e isso acontece há pelo menos 10.000 anos.” Disse o Dr. Wiberg.

“Muitos pesquisadores estudaram a base biológica da mão esquerda, mas o uso de grandes conjuntos de dados do UK Biobank nos permitiu lançar consideravelmente mais luz sobre os processos que levam à mão esquerda.”

FONTE / Daily Mail