Saúde & Bem-EstarA falta de sexo pode ser uma ameaça à saúde para pessoas com mais de 50 anos, dizem cientistas

Segundo o estudo, homens que se tornam menos interessados ​​em sexo têm 63% mais chances de serem diagnosticados com câncer.
Redação2 semanas atrás5 min
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/08/Sexo-a.jpg

Um estudo com mais de 5.700 homens descobriu que pessoas do sexo masculino com mais de 50 anos vêem o risco de doenças graves aumentar em mais de dois terços.

A pesquisa mostra também que mulheres têm 64% mais probabilidade de relatar problemas de saúde se fizerem sexo com menos frequência, mas não há um aumento significativo no risco de doenças graves.

LEIA TAMBÉM: Nova tecnologia permite manipular facilmente o sexo de bebês através do esperma

Uma noite de paixão pode trazer benefícios para a saúde, pode queimar 85 calorias e liberar endorfinas saudáveis ​​que estimulam o sistema imunológico.

Segundo o estudo, homens que se tornam menos interessados ​​em sexo têm 63% mais chances de serem diagnosticados com câncer e 41% mais chances de desenvolver uma doença de longa data.

Pesquisadores que analisaram a saúde das pessoas por mais de quatro anos após serem questionados sobre suas vidas sexuais e afirmam que um declínio no sexo também pode ser um sinal de alerta.

LEIA TAMBÉM: Quando a religiosidade era representada pelo sexo: Pompeia

Se os indivíduos estão cansados ​​demais para fazer amor, essa fadiga pode ser uma bandeira vermelha para a doença, enquanto os homens que sofrem de impotência podem ter problemas vasculares que os colocam em risco de doença cardíaca.

Entre os homens cuja libido permaneceu a mesma ou melhorou, pouco mais de 15% desenvolveram uma doença ou incapacidade de longa data, como diabetes ou artrite, nos próximos quatro anos.

Mas essa taxa foi mais alta entre os homens que disseram que seu desejo sexual havia diminuído.

A taxa de câncer nesses homens era de 6,7%, comparada com 4,3% naqueles cuja libido não havia diminuído.

LEIA TAMBÉM: Natureza beneficia bem-estar e saúde da população, mostra pesquisa

Homens que disseram que estavam fazendo menos sexo do que um ano atrás tinham 69% mais chances de ter uma doença de longa data.

Os especialistas não podem dizer com certeza se a falta de sexo leva à doença ou se ter menos relações sexuais é um sinal de que alguém já está doente antes de ser diagnosticado. 

FONTE / Daily Mail 

Posts relacionados