História & HumanidadeTesouros de antigos naufrágios de 2.000 anos são descobertos na Grécia

Redação4 meses atrás(Crédito da Imagem: Εφορεία Εναλίων Αρχαιοτήτων)
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/08/Levitha-1-780x405.jpg

Mergulhadores identificaram pelo menos cinco antigos naufrágios que datam de cerca de 2.000 anos. Os achados estão incluídos nos resultados do primeiro período de pesquisa arqueológica subaquática do Ephorate of Antiquities, perto da ilha de Levitha.

A descoberta arqueológica submarina revelou que os antigos navios estavam carregados de ânforas. De acordo com o Ministério da Cultura e Esportes Helênico, a maioria dessas ânforas veio de Knidos, Kos, Rodes, Fenícia e Cartago, e pertencem ao século III AEC, quando as dinastias Ptolemaica e Antígona governaram o comércio marítimo no Egeu.

Além de descobrir os naufrágios carregados de mercadorias, os mergulhadores também se depararam com uma enorme âncora de granito, em profundidade de 45 metros e pesando 400 kg.

A âncora de granito remonta ao século VI AEC e é o maior pilar de pedra do período arcaico que foi encontrado até hoje no mar Egeu. Seu uso aparentemente se refere a um navio colossal de sua dimensão, comunicou o Ministério da Cultura e Esportes Helênico.

Os mergulhadores encontraram esses restos durante uma exploração que durou de 15 a 29 de junho, sob a direção do arqueólogo George Koutsouflakis.

A ilha Levitha, próximo de onde as descobertas foram feitas, é fica mais ao oriente de um grupo de quatro ilhas isoladas (Levitha, Mavria, Glaros e Chinaros) que ligam a passagem marítima das Cíclades ao Dodecaneso no pico do paralelo 37 entre Leros e Amorgos.

A investigação subaquática será estendida por um período de três anos (2019-2021) com o objetivo de identificar e documentar antigos naufrágios na área costeira do complexo insular, que parece ter desempenhado um papel fundamental na navegação antiga.

A investigação atual limitou-se principalmente às costas sul e oeste da ilha de Levitha.

Segundo relatos, um total de 57 mergulhos em grupo foram realizados com 92 horas de trabalho no leito do mar e aproximadamente 30% dos 35 km de costa na ilha foram cobertos.

Traços de oito naufrágios foram encontrados no total, datando principalmente dos períodos helenístico e romano.

Além dos restos, vários achados individuais, em particular, fragmentos de cerâmica e âncoras, documentaram um uso contínuo desta rota marítima desde o período arcaico até o período otomano.

FONTE / Ministério da Cultura e Esportes Helênico da Grécia via Curiosmos

Posts relacionados