TecnologiaCientistas criam um minúsculo e assustador robô que sobrevive ao ser pisado, como uma barata

Damares Alves3 semanas atrás5 min
https://i2.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/08/Robô-barata.gif?fit=1024%2C415&ssl=1

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, desenvolveram um robô tão pequeno quanto um inseto que pode correr quase tão rápido quanto uma barata.

“As pessoas podem ter experimentado que, se você pisar na barata, você pode ter que esfregar um pouco, caso contrário a barata ainda pode sobreviver e fugir”, disse o pesquisador Liwei Lin em um comunicado à imprensa.

“Alguém pisando em nosso robô está aplicando um peso extraordinariamente grande, mas ele [o robô] ainda funciona.”

LEIA TAMBÉM: Cientistas criam garganta artificial capaz de fazer mudos falarem

Os pesquisadores descrevem como eles construíram o minúsculo robô semelhante a uma barata a partir de uma fina camada de fluoreto de polivinilideno ou PVDF revestido em um polímero elástico. Os materiais piezoelétricos são únicos, pois a aplicação de tensão elétrica a eles faz com que os materiais se expandam ou se contraiam.

Quando os pesquisadores ligam o robô com uma tensão elétrica oscilante por meio de um fio conectado, seu corpo pequeno se dobra e se endireita. Isso faz com que o robô “pule” para frente com sua única perna.

Força não é a única semelhança entre o robô e os insetos. O pequeno robô também é muito rápido para o seu tamanho, podendo alcançar velocidades de até 20 vezes o tamanho de seu corpo por segundo.

Ele também é um grande exemplo de resistência, pois pode suportar até 60 quilogramas – um milhão de vezes o seu próprio peso – sem sofrer danos.

TAMBÉM: Neuralink de Elon Musk conectou um cérebro de macaco a um computador

Essa resistência e velocidade também podem tornar a minúscula máquina uma excelente ferramenta para resgates.

“Por exemplo, se um terremoto acontece, é muito difícil para as grandes máquinas, ou para os grandes cachorros, encontrar vida sob detritos”, disse o pesquisador Yichuan Wu no comunicado à imprensa, “por isso precisamos de um robô pequeno, ágil e robusto.”

LEIA TAMBÉM: Barato e eficiente: novo material vai revolucionar a indústria de energia solar?

O artigo científico foi publicado essa semana (quarta-feira, 31 de julho) na revista Science Robotics.

FONTES / Berkeley News