TecnologiaCientistas criam garganta artificial capaz de fazer mudos falarem

E é feita de grafeno.
Redação4 semanas atrás3 minImagem: Needpix
https://i0.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/07/garganta-artificial-e1564257297937.jpg?fit=1200%2C888&ssl=1

Pesquisadores relataram na revista ACS Nano que desenvolveram uma garganta artificial que, quando presa ao pescoço como uma tatuagem temporária, pode transformar os movimentos da garganta em sons.

A maioria das pessoas considera a fala como certa, mas na verdade é um processo complexo que envolve tanto movimentos da boca como vibrações de tecidos dentro da garganta, as cordas vocais. E, se as cordas vocais sofrerem lesões, uma pessoa pode perder a capacidade de falar.

Os cientistas desenvolveram detectores que medem os movimentos na pele humana, como pulso ou batimento cardíaco. No entanto, os dispositivos normalmente não podem converter esses movimentos em sons.

Recentemente, He Tian, Yi Yang, Ren e Tian-Ling desenvolveram um protótipo de garganta artificial com ambas as capacidades, mas como o dispositivo precisava ser colado na pele, não era confortável o suficiente para ser usado por longos períodos de tempo. Assim, os pesquisadores queriam desenvolver uma garganta artificial mais fina e semelhante à pele que aderisse ao pescoço como uma tatuagem temporária.

Para fazer a garganta artificial, os pesquisadores usaram grafeno em uma folha fina de filme de álcool polivinílico. O dispositivo flexível mede 0,6 por 1,2 polegadas.

Os pesquisadores usaram água para prender o filme à pele sobre a garganta de um voluntário e conectaram-no com eletrodos a uma pequena braçadeira que continha uma placa de circuito impresso, microcomputador, amplificador de potência e decodificador. Quando o voluntário imitava silenciosamente os movimentos da fala, o instrumento converteu esses movimentos em sons emitidos, como as palavras “OK” e “Não”.

Os pesquisadores dizem que, no futuro, pessoas mudas poderão ser treinadas para gerar sinais com suas gargantas e o dispositivo traduzirá em fala.

FONTE / American Chemical Society via ScienceDaily / DOI: 10.1021/acsnano.9b03218