Saúde & Bem-EstarImplante cerebral pioneiro restaura parcialmente a visão de pacientes cegos

Damares Alves5 meses atrás
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/07/WhatsApp-Image-2019-07-16-at-15.22.29.jpeg

Apesar de não ter nenhuma função visual em seus olhos, pacientes cegos puderam enxergar parcialmente graças a uma nova tecnologia.

Isso é possível graças a uma câmera de vídeo em um par óculos que envia as informações visuais à um eletrodo implantado no córtex visual do cérebro. Essa tecnologia foi batizada de Orion.

Uma prótese cortical visual está ajudando a levar a visão aos cegos.

Neurocirurgiões do Baylor Medical College, no Texas, e da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, realizaram a produção cirúrgica em seis pessoas. E os resultados foram impressionantes.

LEIA TAMBÉM: Nova droga reduz a resistência do câncer ao tratamento.

A ideia de uma prótese cortical visual já é bem antiga, mas só agora a tecnologia foi aperfeiçoada o suficiente para testes clínicos.

Primeiros testes

Benjamin Spencer, que perdeu a visão ainda jovem e que viveu a maior parte de sua vida na escuridão total, diz que pode distinguir quando se aproxima de uma janela ou de uma porta.

Paul Phillip, que está cego há quase uma década, diz que quando usa os óculos para ir em suas caminhadas à noite com sua esposa, ele sabe onde a calçada e a grama se encontram. Ele também pode dizer onde seu sofá branco está localizado.

LEIA TAMBÉM: Como a falta de sono pode te matar.

“Este é um estudo de viabilidade inicial. Estamos avaliando o conceito de design do dispositivo em relação à segurança clínica inicial e à funcionalidade do dispositivo ”, disse o Dr. Bosking, professor assistente de neurocirurgia. “Até agora os resultados são promissores. Enquanto nossos pacientes descrevem serem capazes de identificar onde certos objetos estão localizados, mas eles não estão vendo formas ou bordas claramente; eles vêem um pequeno número de pontos de luz correspondentes ao local onde o objeto está localizado”.

LEIA TAMBÉM: Três pacientes paralisados andam novamente com implante de medula espinhal.

O dispositivo protético cortical visual é útil apenas para pacientes que nasceram com visão e que mais tarde perderam a visão.

Se uma pessoa nasce cega, as partes do cérebro que sustentam a visão não estão totalmente desenvolvidas, e a informação visual não pode ser efetivamente transmitida ao cérebro. Portanto, o dispositivo protético cortical visual é projetado para uso em pacientes com cegueira adquirida.

Os pesquisadores agora trabalham no aperfeiçoamento da interface entre o dispositivo e o cérebro.

FONTE / Baylor Colege of Medicine

Posts relacionados