EspaçoEnorme tempestade de areia detectada no polo norte de Marte

Redação1 semana atrásCrédito: ESA/DLR/FU Berlin, CC BY-SA 3.0 IGO
https://i0.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/07/Spiral_dust_storm_on_Mars_large.jpg?fit=625%2C351&ssl=1

A Mars Express, da ESA, está atenta às tempestades de poeira no Planeta Vermelho ao longo do último mês, observando como elas se dispersam em direção ao equador.

Tempestades locais e regionais com duração de alguns dias ou semanas e confinadas a uma pequena área são comuns em Marte, mas em sua maior gravidade podem engolir todo o planeta, como experimentado no ano passado em uma tempestade global que circulou o planeta por muitos meses.

Atualmente, é primavera no hemisfério norte de Marte, e nuvens de gelo de água e pequenos redemoinhos de poeira são frequentemente observados ao longo da borda da calota polar recuada.

Muitas das espaçonaves em Marte retornam relatórios meteorológicos diários orbitais ou da superfície, fornecendo impressões globais e locais das mudanças nas condições atmosféricas. A Mars Express da ESA observou pelo menos oito tempestades diferentes na borda da calota de gelo entre 22 de maio e 10 de junho, que se formaram e se dissiparam muito rapidamente, entre um e três dias.

Tempestade de poeira de Marte em movimento

As duas câmeras a bordo da espaçonave, a Câmera Estéreo de Alta Resolução (HRSC) e a Câmera de Monitoramento Visual (VMC), monitoraram as tempestades nas últimas semanas. A imagem no topo desta página, tirada pela HRSC em 26 de maio, captura uma tempestade de poeira em forma de espiral, sua cor marrom contrastando com o gelo branco da calota polar norte abaixo.

Enquanto isso, a sequência animada (acima) foi compilada a partir de imagens de uma tempestade diferente capturada pelo VMC durante um período de 70 minutos em 29 de maio. Esta tempestade particular começou no dia 28 de maio e continuou por volta do dia 1 de junho, movendo-se para o equador durante aquele tempo.

A montagem das imagens (abaixo) mostra três diferentes tempestades ocorrendo em 22 de maio, em 26 de maio e entre 6 e 10 de junho. No último caso, as câmeras observaram a tempestade evoluir por vários dias enquanto se movia na direção do equador.

Crédito: ESA/DLR/FU Berlin, CC BY-SA 3.0 IGO

Ao mesmo tempo, manchas de nuvens claras podem ser vistas na margem externa da calota polar e também a milhares de quilômetros de distância, perto dos vulcões Elysium Mons e Olympus Mons.

Juntamente com a câmera MARCI abordo do Mars Reconnaissance Orbiter da NASA, a Mars Express observou que quando as tempestades de poeira atingiram os grandes vulcões, começaram a surgir nuvens orográficas – nuvens de gelo de água impulsionadas pela influência do declive do vulcão no fluxo de ar. Essas tempestades de poeira regionais duram apenas alguns dias; a poeira elevada é transportada e espalhada pela circulação global em uma névoa fina na baixa atmosfera, em torno de 20 a 40 km de altitude. Alguns vestígios de poeira e nuvens permaneceram na província vulcânica em meados de junho.

FONTE: Dust storms swirl at the north pole of Mars [ESA]