PaleontologiaPterodáctilos bebês já podiam voar desde o nascimento

University of Leicester2 semanas atrás
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/06/Bebe-dino.jpg

Uma descoberta revolucionária revela que os pterodáctilos, répteis voadores extintos, tinham uma capacidade notável – eles podiam voar desde o nascimento.

A importância desta descoberta é destacada pelo fato de que nenhum outro vertebrado vivo hoje, ou aqueles na história do registro fóssil, tinha essa habilidade. Essa revelação tem um profundo impacto em nossa compreensão de como os pterodátilos viveram, o que é fundamental para entender como o mundo dos dinossauros funcionava como um todo.

Anteriormente, pensava-se que os pterodáctilos só conseguiam levantar voo  após ter crescido até quase o seu tamanho total, como  ou morcegos. Esta suposição foi baseada em embriões  das criaturas encontradas na China que tinham asas pouco desenvolvidas.

Leia também: O brasil é um dos lugares mais importantes do mundo para a pesquisa de dinossauros.

No entanto, o Dr. David Unwin, paleobiólogo da Universidade de Leicester que se especializou no estudo de pterodáctilos, e o Dr. Charles Deeming, zoólogo da Universidade de Lincoln que pesquisa a reprodução aviária e reptiliana, refutaram essa hipótese.

Eles compararam esses embriões com dados sobre o crescimento pré-natal em aves e crocodilos, descobrindo que eles ainda estavam em um estágio inicial de desenvolvimento e muito longe da eclosão.

A descoberta de embriões mais avançados na China e na Argentina, que morreram pouco antes de eclodirem, forneceu a evidência de que os pterodáctilos tinham a capacidade de voar desde o nascimento.

O Dr. David Unwin disse: “Teoricamente, o que os pterossauros faziam, crescendo e  , é impossível, mas eles não sabiam disso, então eles fizeram de qualquer mesmo assim.”

Outra diferença fundamental entre os pterodáctilos bebês, também conhecidos como flaplings, baby birds ou morcegos, é que eles não tinham cuidados parentais e tinham que se alimentar e cuidar de si mesmos desde o que saim do ovo.

Sua habilidade de voar lhes dava um mecanismo de sobrevivência que eles usavam para escapar dos dinossauros carnívoros.

Essa habilidade também os transformou em um dos maiores caçadores, já que o exigente e perigoso processo de levou muitos deles a morrerem ainda muito cedo.

A pesquisa também desafiou a visão atual de que os pterodáctilos se comportavam de maneira semelhante aos pássaros e morcegos e forneceu possíveis respostas para algumas questões sobre desses animais.

Como os flaplings conseguiram voar e crescer desde o , isso fornece uma possível explicação de por que eles conseguiram alcançar enormes envergaduras de asas, muito maiores do que qualquer espécie histórica ou atual de pássaros ou morcegos.

Leia também: Pesquisadores descobrem fósseis de dinossauro no sul de Goiás.

Como eles foram capazes de realizar este processo vai exigir mais pesquisas, mas essa pergunta não existiria sem os avanços recentes.

O Dr. Deeming acrescentou: “Nossa técnica mostra que os pterossauros eram diferentes de pássaros e morcegos e, portanto, a anatomia comparativa pode revelar novos modos de desenvolvimento em espécies extintas.”