PaleontologiaUm fóssil gigante de réptil foi encontrado na Antártida

Élisson Amboni3 semanas atrás
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/06/elasmossauro-1280x622.jpg

Uma equipe de paleontólogos argentinos desenterrou um fóssil gigante de réptil na Antártida. O enorme Elasmossauro encontrado na Antártida é o maior de sua espécie já encontrado até agora. O Instituto Antártico Argentino realizou a pesquisa, e o paleontólogo José O’Gorman, do Museu de La Plata (MLP) e do CONICET, afirmou que essa descoberta é significativa.

O réptil gigante viveu em torno do fim da era cretácea, o que significa que este Elasmossauro está, também, muito próximo do período de extinção dos dinossauros, além de ser o maior de sua espécie que já foi encontrado, no momento. No entanto, o trabalho do Instituto Antártico Argentino levou vários anos e os cientistas extraíram o espécime em 2017.

“Devido ao grande tamanho desse espécime, seu resgate foi realizado durante sucessivas campanhas do Instituto Antártico Argentino e seu resgate culminou em 2017”, afirmou o principal autor do estudo na revista Cretaceous Research.

LEIA TAMBÉM: Dinossauro “mumificado” de 100 milhões de anos descoberto

De acordo com José O’Gorman, o réptil gigante encontrado na Antártida desenvolveu uma estratégia alimentar única que ajudou a crescer consideravelmente em tamanho. “Ele pesava entre 10 e 13 toneladas, então está bem acima daqueles que eram conhecidos até agora, que tinham uma massa entre cinco e seis toneladas”, acrescentou o Dr. O’Gorman. É o espécime mais massivo de seu tipo.

Elasmossaurídeos pertencem à família dos plesiossauros, as espécies gigantes de répteis que inspiraram as pessoas a criar o famoso monstro do Lago Ness. No entanto, o Elasmossauro encontrado na Antártida era parte da subespécie de Aristonectes que desenvolveu uma forma particular de alimentação, semelhante às baleias modernas. Mais especificamente, o réptil gigante nadava com a boca aberta para engolir pequenos peixes, crustáceos e assim por diante.

O resgate do fóssil gigante de réptil foi um desafio para o Instituto Antártico Argentino. Os fósseis desse enorme Elasmossauro foram encontrados em 1989, mas o espécime foi inteiramente recuperado somente em 2017.

“A coleta dele foi realizada ao longo de muitos anos, e muitas equipes participaram; isso evidencia a necessidade de apoio à atividade científica que o Instituto Antártico Argentino mantém ao longo do tempo”, concluiu o Dr. O’Gorman.

ORIGINAL INGLÊS: Giant Reptile Found By Argentine Paleontologists In Antarctica [Advocator]