NotíciaNOAA prevê até 8 furacões destrutivos para o litoral atlântico este ano

Destes, dois a quatro furacões poderiam atingir a categoria 3 ou outra superior.
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/05/noaa-preve-furacões-1280x759.jpg

Especialistas da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA, na sigla em inglês) divulgaram suas perspectivas para a próxima temporada de furacões no Atlântico, que começa oficialmente em 1º de junho e dura até 30 de novembro.

Para este ano, a NOAA está prevendo uma chance de 70% 9 nove a 15 tempestades com ventos fortes ocorrem. Destes, a agência diz que de quatro a oito podem se tornar furacões, incluindo a possibilidade entre dois e quatro de atingem a categoria 3 ou outra superior. Uma temporada média tem 12 tempestades, seis furacões e três grandes furacões, de acordo com a NOAA.

“Estamos esperando uma temporada quase normal, mas, independentemente disso, ainda há muita atividade”, disse Gerry Bell, principal meteoróloga da temporada de furacões do Centro de Previsão do Clima da NOAA, em uma coletiva de imprensa.

A temporada de tempestades deste ano está sendo moldada por temperaturas da superfície do mar mais quentes do que a média no Oceano Atlântico tropical e no Mar do Caribe, que Bell disse que pode favorecer um aumento na atividade de tempestades. No entanto, um padrão climático competitivo, conhecido como El Niño, que é caracterizado por uma água excepcionalmente quente no Oceano Pacífico, provavelmente aumentará o cisalhamento do vento, o que pode desgastar os furacões ou interromper as grandes tempestades em formação.

“O El Niño em curso deve persistir e suprimir a atividade na temporada de furacões do Atlântico”, disse Neil Jacobs, administrador do NOAA.

A previsão deste ano vem depois de uma destrutiva temporada de furacões no Atlântico em 2018, que produziu 15 tempestades, incluindo oito furacões — dois dos quais eram de categoria 3 ou superior. [Mach]