EcologiaÚltimo paraíso natural intocado na Austrália está infestado de plástico

Pesquisadores descobrem 414 milhões de fragmentos de plástico em ilhas remotas.
Redação1 mês atrásUma praia aparentemente limpa das Ilhas Cocos, retratada em abril de 2013. Créditos: Wikimedia
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/05/COCO_ISLAND_APRIL_2013_-_panoramio_6-e1558488150928-1280x788.jpg

Muitos estudos ilustraram a quantidade insana de plástico entupindo nosso planeta. Mas um novo foco descoberto nas Ilhas Cocos da Austrália sugere que ainda podemos ter subestimado o problema.

Pesquisadores investigaram 88% das ilhas remotas consideradas “o último paraíso natural da Austrália” e encontraram cerca de 414 milhões de fragmentos de plástico – incluindo cerca de 373.000 escovas de dentes e 977.000 sapatos – pesando 262 toneladas, segundo a CNN.

Cerca de 93% desses detritos, principalmente micro-plásticos, estavam enterrados em até 4 polegadas abaixo da superfície. “Isso sugere que os levantamentos globais de detritos, a maioria dos quais são focados apenas em detritos de superfície, subestimaram drasticamente a escala de acúmulo de detritos”, diz o estudo publicado na revista Scientific Reports.

A autora do estudo, Jennifer Lavers, da Universidade da Tasmânia, diz que até seus números são “conservadores”. Pesquisadores apenas “arranharam” a superfície das ilhas de apenas 500 pessoas – descobrindo que 25% dos lixos vieram de itens de consumo descartáveis.

Como agora se acredita que existam mais pedaços de plástico no oceano do que estrelas na Via Láctea — 5,25 trilhões —, “limpar nossos oceanos não é possível no momento”, diz a co-autora Annett Finger.

“A única solução viável é reduzir a produção e o consumo de plástico, melhorando a gestão de resíduos para impedir que esse material entre em nossos oceanos em primeiro lugar.”