VirologiaUm vírus gigante recém descoberto transforma seu hospedeiro em ‘pedra’

Nomeado de Medusavírus, o vírus infecta o hospedeiro e pode transformá-lo em algo que se assemelha muito a uma pedra.
Redação2 meses atrásJorah Mormont é infectado com uma doença que o transforma em pedra em Games of Thrones (Imagem: HBO)
https://i1.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/05/Helen_Sloan___HBO__Photo_2_.0.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1

Uma equipe de pesquisadores encontrou um novo vírus gigante nas águas termais do Japão. Chamado de medusavírus, o vírus infecta uma espécie de ameba chamada Acanthamoeba castellanii e pode transformá-la em algo que se assemelha muito a uma pedra.

“Os vírus são classificados com base em suas características genéticas, ou seja, como eles geram mRNA para produzir proteínas e material genético”, disse o professor Masaharu Takemura, virólogo da Universidade de Ciência de Tóquio.

“O medusavírus é um grande vírus de DNA nucleocitoplasmático que pertence a um grupo de vírus eucarióticos recentemente descobertos com genomas de DNA de fita dupla grandes e complexas.”

O medusavírus, com um diâmetro de 260 nm, tem um capsídeo icosaédrico com pontas esféricas únicas na sua superfície.

É o primeiro vírus gigante isolado de um ambiente aquecido (43,4 graus Celsius), e mostra várias características únicas em seu ciclo de replicação e morfologia de partículas.

Imagem de uma partícula de medusavírus preenchida com DNA vista de um eixo de 3 eixos; a espícula, o capsídeo e a membrana estão rotulados. Barra de escala – 100 nm. Crédito da imagem: Yoshikawa et al, doi: 10.1128 / JVI.02130-18.

Com base nas diferenças com outros vírus gigantes conhecidos , o professor Takemura e os co-autores propuseram que o medusavírus representa uma nova família viral, a Medusaviridae.

“Ao contrário da maioria dos vírus, o medusavírus contém genes que codificam para proteínas envolvidas no empacotamento de DNA”, disseram os cientistas.

“O vírus tem um conjunto completo de histonas, que são proteínas que evoluíram para manter o DNA dobrado dentro do núcleo, regulando a expressão genética”.

“Isso é particularmente estranho, pois consideramos que os vírus não têm núcleo. Isso poderia significar que durante a coevolução, o vírus pode ter adquirido os genes que codificam essas histonas”.

Quando o medusavírus petrifica a ameba de Acanthamoeba castellanii, o faz sequestrando a célula diretamente de seu núcleo.

O vírus transfere seu DNA para iniciar a replicação e usa seu próprio DNA polimerase (enzima que sintetiza o DNA) e histonas, mas, no geral, confia no hospedeiro para completar o processo.

Os resultados de uma análise evolutiva realizada pelos pesquisadores sugerem que, na árvore da evolução, o DNA polimerase do medusavírus está na origem do DNA polimerase encontrada em eucariotas.

“Isso pode significar que nosso DNA polimerase provavelmente se originou do medusavírus ou de um de seus parentes”, disse Genki Yoshikwa, cientista da Universidade de Kyoto.

A descoberta foi publicada em um artigo no Journal of Virology. [Sci-News]

G. Yoshikawa et al. 2019. Medusavirus, a novel large DNA virus discovered from hot spring water. J Virol 93: e02130-18; doi: 10.1128/JVI.02130-18

Posts relacionados