NotíciaIrmãs gêmeas idênticas vistas se empurrando no ventre de sua mãe (vídeo)

https://i2.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/04/identical1234-828x435.jpg?fit=828%2C435&ssl=1

Todos sabem que a discussão faz parte do curso da irmandade. Por mais que se amem, um brinquedo “emprestado” e, mais tarde, um modelador de cabelos desaparecido pode resultar em um debate de acusações como qualquer outro.

Um par de irmãs gêmeas da China nem esperou para sair do útero para ter a boa e velha rusga entre irmão, já trazendo um boa porção de alegria para a vida de seus pais, contudo,  não sem antes serem repreendidas para que parassem com a “briga”.

Durante o ultra-som de quatro meses, essa animada dupla de gêmeas idênticas foi flagrada no que foi considerado a primeira disputa de suas vidas. Ao que tudo, já culpando uma à outra por ter começado a confusão. E o vídeo, claro, se tornou viral, fazendo surgir um sorriso nos rostos de qualquer um que já tenha presenciado irmãos pequenos em uma disputa.

O pai delas, Tao, de 28 anos, também se divertiu profundamente com as palhaçadas de suas filhas atrevidas, dizendo ao China Daily como elas pareciam estar “boxeando uma a outra”.

“Rivalidade gêmea! Este vídeo incrível captura dois bebês em gestação na cidade de Yinchuan, do noroeste da China, lutando dentro do ventre de sua mãe!”
pic.twitter.com/yO5iAyQpkq — China Daily (@ChinaDaily) April 13, 2019

Não há somente competitividade entre essas meninas, como o Sr. Tao observou, já que ele também as viu compartilhando um doce abraço durante outro exame de ultrassom:

Nós ficamos tão emocionados. As bebês eram tão pequenas e sabiam como cuidar uma da outra. Eu acredito que elas viverão em harmonia quando crescerem”, disse o Sr. Tao.

As meninas compartilhavam a mesma placenta, o que as torna essa condição da gestação das gêmeas muito mais raras. Conhecidos como gêmeos monocoriônica-monoamniótica – ou Mo-Mo -, esses tipos gestação de gêmeos só ocorrem em cerca de um em 35.000 a um em 60.000 gestações. Isso porque existem três tipo placentários: dicoriônico diamniótico, monocoriônico diamniótico e monocoriônico monoamniótico, de acordo com a terminologia médica.

Explicando melhor, monocoriônico é também referenciado, mormente fora da literatura médica, como “gêmeos idênticos” ou monozigóticos, quase sempre em placenta diferente. Quando um óvulo é produzido e fecundado por um só espermatozóide e se divide em duas culturas de células completas, origina os gêmeos monozigóticos ou idênticos/univitelinos, os quais possuem o mesmo genoma (nunca de sexos diferentes). Estima-se que pelo menos um terço das gestações gemelares sejam do tipo monozigóticas (gêmeos idênticos).

Os dizigóticos (ou bivitelinos) são os “gêmeos fraternos”, resultantes da fecundação de dois óvulos por dois espermatozoides diferentes. Isso resulta em indivíduos que não possuem o mesmo genoma, podendo ser de sexos diferentes. Já os termos monoamniótico para as gestações em quem os fetos compartilham o saco amniótico (também chamado de bolsa) e diamniótico quando o saco amniótico não é compartilhado entre os fetos.

Assim, monocoriônica-monoamniótica (Mo-Mo) são as gestações em que os gêmeos compatilham tanto a placenta como a bolsa amniótica.

As irmãs já nasceram por uma cesariana e receberam os doces apelidos ‘Strawberry’ e ‘Cherry’ depois que a mãe comeu muitas dessas frutas durante a gravidez. E elas estão ambas em condições estáveis, apesar dos riscos que a gravidez do Mo-Mo pode trazer.

Conforme relatado pelo Yangzhou Evening News, os gêmeos nasceram separadas por apenas um minuto, com a mais velha com 1.950 gramas, e outra com 1.620 gramas.

O vice-diretor do departamento de obstetrícia do Hospital Geral da Universidade Médica de Ningxia, He Lin, disse aos repórteres:

“Os bebês nasceram sãos e salvos. É a fortuna de seus pais e a minha fortuna. Elas são o primeiro parto de gêmeos Mo-Mo que em nosso hospital foi realizado com sucesso”.

Não foi relatado se ‘Strawberry’ ou ‘Cherry’ começou com a briga intrauterina.

Crédito do vídeo: China Daily