A influência do Iluminismo na Revolução Americana
 

FilosofiaFilosofia PolíticaHistóriaA influência do Iluminismo na Revolução Americana

Os Estados Unidos da América se voltaram para todos os filósofos e, no final, as idéias iluministas foram as principais influências para as colônias americanas se tornarem uma só nação.
Élisson Amboni4 de abril de 201910 min

O Iluminismo foi a raiz de muitas das idéias da Revolução Americana. Foi um movimento que se concentrou principalmente na liberdade de expressão, igualdade, liberdade de imprensa e tolerância religiosa. A Revolução Americana foi o período em que os Estados Unidos tentaram obter sua independência da Inglaterra. Eles foram influenciados por muitos filósofos. Isso será discutido ao longo do ensaio. As idéias do Iluminismo foram as principais influências para as colônias americanas se tornarem uma só nação.

Alguns dos líderes da Revolução Americana foram influenciados pelas idéias iluministas que são a liberdade de expressão, a igualdade, a liberdade de imprensa e a tolerância religiosa. Os colonos americanos não tinham esses direitos, em consequência, eles se rebelaram contra a Inglaterra pela independência. Na Declaração da Independência, Thomas Jefferson escreveu sobre os direitos naturais dos americanos à “vida, liberdade e a busca da felicidade”. Essas idéias vieram do Iluminismo, ideais levados para a Revolução Americana logo depois. “A Revolução Americana deve ser considerada uma guerra anticolonial pela independência, não apenas uma guerra de libertação do governo ultramarino, mas uma guerra pela liberdade. A Revolução Americana foi um movimento para preencher as aspirações de adquirir mais propriedades” (Morris, 3).

Montesquieu acreditava que tudo era composto de leis ou regras que nunca mudaram. Ele escreveu o livro O Espírito das Leis, que cobre muito a importância da separação do poder para equilibrar o controle do governo. Essa separação de poderes foi exemplificada nos três ramos da Inglaterra: legislativo, executivo e judicial. Com esses três ramos separados, a Inglaterra garantiu que todos não tivessem nenhum poder absoluto. Isso significava que os cidadãos do país tinham voz nas ações do governo, dando-lhes, portanto, muito mais poder e liberdade no governo. O Espírito das Leis foi traduzido para o inglês, portanto, os colonizadores americanos podiam ler e incorporar seus ideais iluministas, como um equilíbrio de poder que proporcionava maior liberdade aos indivíduos. Colonos americanos queriam liberdade e acreditavam que a Inglaterra não deveria poder controlá-los no exterior.

Jean-Jacques Rousseau foi um dos pensadores mais influentes durante o período do Iluminismo. Em 1762, Rousseau publicou O Contrato Social, que tornou-se uma das obras mais influentes do pensamento político abstrato. Esse livro fala sobre como um governo poderia existir de uma forma que protege a sociedade e os cidadãos. Rousseau citou em seu livro “O homem nasceu livre; e em toda parte ele está acorrentado”. Esse filósofo foi uma grande influência para a América. Essas idéias foram essenciais para a Revolução Americana.

John Locke foi um dos filósofos mais importantes e influentes da história do mundo. Ele dedicou muito do seu tempo a escrever sobre filosofia e pensamento político. Os pais fundadores da Revolução Americana se apoiaram fortemente em seus ideais. John Locke argumentou que

“O poder de qualquer rei ou governo é derivado de pessoas que o contratam para obedecer às suas regras em troca de lei e segurança. Os indivíduos têm o direito natural de possuir propriedades e isso nunca pode ser tirado deles sem o seu próprio consentimento. Se um governante infringe os termos do contrato que o autoriza ou apreende a propriedade sem o consentimento, o povo pode resistir e depô-lo.”John Locke

Esses argumentos são coisas que os colonos americanos queriam, mas não podiam, sob o controle da Inglaterra. Portanto, os colonos americanos queriam independência da Inglaterra.

Thomas Hobbes é conhecido por seu pensamento político. Sua visão do mundo é incrivelmente original. Sua principal preocupação no mundo é como os indivíduos podem conviver com a paz e não pensar em conflito. Ele rejeita o livre arbítrio do determinismo, no qual a liberdade é tratada como tendo a capacidade de fazer o que um indivíduo deseja. Ele acredita que as pessoas devem obedecer a um grupo ou pessoa que está no poder, ao invés de um estado natural. “Indivíduos em estado de natureza, isto é, um estado sem um governo civil”, disse ele. A saída desse estado desesperado é estabelecer contrato social e ter o estado em paz e ordem. Os colonos americanos acabaram recorrendo ao trabalho de Hobbes para justificar a aprovação da constituição dos EUA.

Logo depois que os Estados Unidos ganhou a guerra da Grã-Bretanha, Thomas Jefferson escreveu a Declaração da Independência. A Declaração da Independência afirmava que os EUA haviam conquistado a revolução da Grã-Bretanha e que haviam conquistado sua independência. Eles agora tinham liberdade para se tornar sua própria nação. Isso mostra que os ideais do Iluminismo tiveram um impacto enorme nos Estados Unidos. Os ideais do Iluminismo foram as principais influências para as colônias americanas se tornarem uma só nação. Montesquieu, Locke e Hobbes ideais e pensamentos sobre a vida foram um grande impacto. Montesquieu influenciou principalmente a separação de poderes, Locke influenciou principalmente os direitos naturais, Hobbes influenciou principalmente os indivíduos que obedecem o poder, e Rousseau influenciou o contrato social. Os Estados Unidos da América se voltaram para todos os filósofos e, no final, as idéias iluministas foram as principais influências para as colônias americanas se tornarem uma só nação.


Essays, UK. (November 2018). The Enlightenment Influence on the American Revolution. Traduzido de https://www.ukessays.com/essays/politics%20/the-enlightenment-on-the-american-revolution-politics-essay.php