Uma nova espécie gigante de dinossauro é descoberta na Tanzânia
 

GeografiaGeologiaPaleontologiaUma nova espécie gigante de dinossauro é descoberta na Tanzânia

Paleontólogos na Tanzânia encontraram fragmentos fósseis de uma nova espécie de dinossauro gigante que andou na Terra aproximadamente 100 milhões de anos atrás (no período Cretáceo).
Élisson Amboni3 meses atrás5 minMnyamawamtuka moyowamkia em seu ambiente natural. Crédito da imagem: Mark Witton.

O novo dinossauro, chamado Mnyamawamtuka moyowamkia, é um membro de Titanosauria, um grupo diverso de dinossauros saurópodes que inclui espécies que vão desde os maiores vertebrados terrestres conhecidos até ‘anões’ não maiores que os elefantes.

“Embora os titanossauros tenham se tornado um dos grupos de dinossauros mais bem sucedidos antes da infame extinção em massa que encobre a Era dos Dinossauros, sua história evolutiva permanece obscura, e Mnyamawamtuka moyowamkia ajuda a contar essas origens, especialmente por seu lado africano da história”, disse Dr. Eric Gorscak, pesquisador do Field Museum of Natural History e da Midwestern University.

O esqueleto parcial de Mnyamawamtuka moyowamkia – incluindo dentes, elementos de todas as regiões do esqueleto pós-craniano, partes de ambos os membros – foi recuperado de rochas do Cretácea na Formação Galula, no sudoeste da Tanzânia.

“A riqueza de informações do esqueleto indica que ele estava distantemente relacionado a outros titanossauros africanos conhecidos, exceto por algumas semelhanças interessantes com outro dinossauro, o Malawisaurus, do outro lado da fronteira Tanzânia-Malauí”, disse Gorscak.

Mnyamawamtuka moyowamkia. Imagem credit: Mark Witton / E. Gorscak & P.M. O’Connor, doi: 10.1371/journal.pone.0211412.

Os titanossauros são mais conhecidos nas rochas do Cretáceo da América do Sul, mas outros esforços do Dr. Gorscak e colegas incluem novas espécies descobertas na Tanzânia, Egito e outras partes do continente africano que revelam um quadro mais complexo da evolução dinossauriana no planeta.

“A descoberta de dinossauros como o Mnyamawamtuka moyowamkia e outros que descobrimos recentemente é como fazer uma conexão quadridimensional dos pontos”, disse o professor da Universidade de Ohio, Patrick O’Connor.

“Cada nova descoberta acrescenta um pouco mais de detalhes à imagem de como os ecossistemas da África continental eram durante o Cretáceo, permitindo-nos reunir uma visão mais holística da mudança biótica no passado.”

“Este novo dinossauro nos dá informações importantes sobre a fauna africana durante um período de mudanças evolutivas”, disse a Dra. Judy Skog, diretora de programa da Divisão de Ciências da Terra da NSF, que financiou a pesquisa.

“A descoberta oferece insights sobre paleogeografia durante o Cretáceo.”

A descoberta é relatada em um artigo na revista PLoS ONE. [Sci-News]

Você pode doar a partir de R$ 3 mensais e nos ajudar a expandir este projeto. Com a sua ajuda, poderemos alcançar mais pessoas e produzir um conteúdo de alta qualidade. Para doar, clique aqui. É um processo rápido e fácil.