Trio de dinossauro alojado como pássaros
 

CiênciaPaleontologiaTrio de dinossauro alojado como pássaros

Diógenes Henrique27 de agosto de 201712 min

Traci Watson para a Nartue

Os animais parecem ter morrido enquanto se aconchegavam há 70 milhões de anos. Os restos fossilizados de três jovens dinossauros que parecem ter se aconchegado no sono foram encontrados em um bloco de pedra pirateado por caçadores ilegais na Mongólia.

Os pesquisadores dizem que os espécimes de 70 milhões de anos são os primeiros exemplos conhecidos de dinossauros dormindo em grupo, um comportamento chamado empoleiramento comunitário. Muitas espécies modernas, incluindo corvos e morcegos, se envolvem na prática, o que ajuda os animais a regular a temperatura corporal e a evitar predadores.

Os três sonolentos dinossauros provavelmente eram parentes e possivelmente irmãos, diz o paleontólogo de vertebrados Greg Funston, da Universidade de Alberta, no Canadá, que liderou a equipe que analisou os fósseis. O trio “claramente teve um vínculo bastante próximo”, diz Funston. “Eles estavam vivendo juntos no momento da morte”. Ele descreveu os fósseis em 25 de agosto na reunião anual da Society of Vertebrate Paleontology em Calgary, Canadá.

Os agentes aduaneiros da Mongólia pegaram o espécime de pedra em um aeroporto em 2006, antes que ele pudesse ser contrabandeado para fora do país. Uma análise geoquímica de Federico Fanti, um paleontólogo de vertebrados na Universidade de Bolonha, na Itália, e seus colegas sugerem que os dinossauros provavelmente provêm do site fóssil Bugiin Tsav no deserto de Gobi. Fanti apresentou os dados geoquímicos em 24 de agosto, na mesma reunião de paleontologia.

A equipe de Funston identificou os fósseis como uma nova espécie de oviraptoridae — um grupo de dinossauros com rostos curtos, pescoços longos e bicos sem dentes que viveram durante o período Cretáceo, de 145 milhões a 65 milhões de anos atrás. A espécie, que ainda não foi formalmente nomeada, tem uma crista em forma de cúpula na cabeça, parecida com a de um moderno casuar, e andava em duas pernas.

Gangue adolescente

Ao contrário da maioria dos fósseis de dinossauro, dois dos animais no bloco estão agachados sob a barriga. Esses dois, que são mais completos do que o terceiro, têm o pescoço dobrado para trás de seus corpos, enquanto seus braços sustentam suas cabeças. A pose “é bem parecida com o que as avestruzes e as emas fazem quando dormem profundamente”, diz Funston.

Incontáveis fósseis previamente descobertos capturaram dinossauros cochilando, mas todos mostram um animal solitário. O novo fóssil sugere que o empoleiramento comunitário se desenvolveu em animais com ricas vidas sociais, diz Funston. Ovirraptores se encaixavam aí: eles procuravam alimentos em grupos e provavelmente exibiam suas cristas a rivais ou a potenciais companheiros. Por outro lado, outro grupo de dinossauros semelhantes a pássaros chamados de trodonetes não possuíam comportamentos tão sofisticados e não se hospedaram em alojamentos comunitários (sem empoleiramento comunitário).

A partir da largura das coxas dos dois esqueletos mais extensos do bloco, os pesquisadores estimam que cada um pesava aproximadamente 45 quilogramas, um pouco mais do que um pastor alemão. O terceiro esqueleto está muito fragmentado para os pesquisadores estimarem seu peso. Mas é de aproximadamente o mesmo tamanho que seus companheiros, sugerindo que os três tinham idade próxima.

Um oviraptoride fêmea poderia colocar dúzias de ovos, sempre em número múltiplos de dois. Então, os animais poderiam ter sido irmãos, diz Funston, ou talvez primos.

Dois outros fósseis da Mongólia da mesma espécie ajudam a dar suporte a idade estimada do trio adormecido. Um adulto previamente descoberto de um amontoado de ossos diferente pesava 75 quilos. Outro espécime recuperado de traficantes de fósseis em 2006 tinha 33 quilos e, a julgar pelo desenvolvimento ósseo, provavelmente tinha menos de um ano de idade. Isso levou a equipe a estimar a idade dos animais de bloco de 2006 da Mongólia de idades entre 2 a 5 anos — tornando-os equivalentes a “adolescentes que passam um tempo juntos no estacionamento”, brinca David Varricchio, um paleontólogo de vertebrados da Montana State University em Bozeman.

Ter espécimes de idades variadas trará informações sobre como essa classe de animais se desenvolvia e evoluia, diz Michael Pittman, um paleontólogo da Universidade de Hong Kong.

Estudo do sono

A configuração dos três animais implica que eles estavam encostando um no outro, e os pesquisadores acham que os jovens provavelmente estavam aconchegados compartilhando calor. Isso sugere que os animais estavam tentado manter uma temperatura corporal constante, diz Funston, embora a maioria dos animais que se amontoam em busca de calor são pequenos. Funston especula que o clima gelado ou uma tempestade de areia levaram os três dinossauros a se estabelecerem juntos.

Outros pesquisadores têm reservas sobre essa ideia. Os animais podem ter se amontoado para se esconder ou simplesmente porque o local era “um ótimo lugar para dormir”, diz John Grady, um biólogo da Bryn Mawr College, na Pensilvânia, que estudou as taxas metabólicas de dinossauros. E Varricchio pergunta se os répteis jovens estavam descansando ou se protegendo de condições difíceis ao invés de estarem dormindo.

Mas Funston argumenta que os animais modernos que se aconchegam não costumam fazer contato direto, exceto pelo calor. Os animais que morreram em eventos como em inundações são preservados em posições muito diferentes da do trio oviraptoride, diz ele, tornando improvável que os jovens dinossauros estivessem acordados.

Independentemente do que os três dinossauros fossilizados estivessem fazendo, os pesquisadores dizem que seus restos sugerem que os oviraptorides jovens eram animais sociais. Há evidências fósseis de oviraptorides adultos sentadas em ninhos, e faz sentido que os mais jovens “andavam por aí acompanhados” ao invés de se meterem com os adultos, diz Varricchio. A pose semelhante a uma posição em vida dos fósseis no bloco, acrescenta, mostra que “eles estavam vivos juntos e eles morreram juntos”.

Texto traduzido da Nature. Leia o original aqui.

Nature doi:10.1038/nature.2017.22508