A maioria das pessoas não sabe que a mudança climática é inteiramente humana

Quanto do aquecimento do século passado você acha que foi causado por ações humanas, ao invés de processos naturais?

651 0

Se você acha que os processos naturais desempenharam um papel importante, você está longe de estar sozinho. Menos da metade das pessoas no Reino Unido (43%), Alemanha (49%) e Noruega (apenas 34%) acreditam que a mudança climática tem como causa principalmente ou inteiramente as atividades humanas, de acordo com uma pesquisa de opinião pública. Na França, uma pequena maioria (55%) mantém essa visão.

A resposta correta, a propósito, é que mais de 100% do aquecimento no século passado1 se deve a ações humanas. Como pode ser mais de 100%? Porque sem nós, o planeta provavelmente teria se resfriado muito ligeiramente graças a fatores naturais, como emissões vulcânicas e mudanças orbitais.

Ainda menos pessoas entendem que a grande maioria dos cientistas concorda que a mudança climática está acontecendo e é em grande parte devido à atividade humanas. Apenas cerca de um terço das pessoas nos quatro países pesquisados pensam que mais de 80% dos cientistas concordam com isso.

De fato, mais de 90% dos cientistas concordam que a mudança climática está totalmente relacionada com nossas atividades2. Entre aqueles que estudam ativamente o clima, o consenso é de 97%.

A pesquisa3, com mil indivíduos em cada um dos quatro países em junho de 2016, não analisou por que apenas uma minoria de pessoas conhece tais fatos básicos, mas a longa campanha de desinformação financiada por interesses da indústria de combustíveis fósseis obviamente teve um papel importante. “Isso dificulta a transmissão da mensagem”, diz, segundo a revista NewScientist4, Nick Pidgeon, da Universidade de Cardiff, no Reino Unido, que coordenou o estudo. A boa notícia é que mais de 80% das pessoas nos quatro países concordam que o clima está mudando e 60% acham que já estamos sentindo os efeitos.

Melhor ainda, a maioria também apoia ações para limitar ainda mais as mudanças climáticas. Há amplo apoio à energia solar, eólica e hidrelétrica, com 69% ou mais concordando que a energia renovável deve ser subsidiada.

A maioria das pessoas também acha que o dinheiro público deveria ser usado para se preparar para a mudança climática e ajudar os países em desenvolvimento a lidar com os efeitos. E dois terços apoiam o Acordo Climático de Paris5.

No entanto, a energia nuclear não é uma opção com uma boa aceitação popular, especialmente na Alemanha e na Noruega, onde 40% ou mais são fortemente contra. Alguns cientistas, entretanto, defendem que a energia nuclear é essencial para nos ajudar a reduzir as emissões de carbono6.

O fraturamento hidráulico,um método que possibilita a extração de combustíveis líquidos e gasosos do subsolo, também é impopular; é fortemente contestado por um quarto das pessoas nos quatro países, com apenas seis por cento ou menos apoiando fortemente essa técnica de obtenção de combustíveis fósseis. [NewScientist]

Nota: Pesquisa de opinião publicada em 20177 com 746 pessoas nos Estados Unidos, 75,3% das pessoas atribuem os efeitos comumente “Aquecimento Global” a influência humana; 92,7% acreditam que substâncias comumente referenciadas como “gases do efeito estufa” têm a capacidade de aquecer a atmosfera terrestre e com relação aos registros históricos de temperatura, 70,6 acreditam que, dado a suas experiências pessoais, os gases estufas provêm de emissões humanas.

Foto de capa: Manifestação “Climate action now Australia”. Mais de 30.000 pessoas se reuniram e marcharam em Melbourne no domingo, 21 de setembro de 2014, como parte do protesto global do clima “Peoplesclimate”, que cobrou ação dos governantes sobre a mudança climática. Esse foi um dos mais de 2.500 protestos em 150 países ao redor do mundo. Crédito/Fonte: Takver / Flickr.

Referências:

  1. Ribes, A., Zwiers, F.W., Azaïs, JM. et al. A new statistical approach to climate change detection and attribution. Clim Dyn (2017) Volume 48, Issue 1–2, pp 367–386. https://doi.org/10.1007/s00382-016-3079-6;
  2. The 97% consensus on global warming; https://skepticalscience.com/global-warming-scientific-consensus-advanced.htm;
  3. Pidgeon, Nick et al. European Perceptions of Climate Change Project (EPCC) – Topline findings of a survey conducted in four European countries in 2016. Cardiff University and Joint Programme Initiative-Climate Change, March 2017. https://orca.cf.ac.uk/98660/7/EPCC.pdf;
  4. Le Page, Michael.  Most people don’t know climate change is entirely human-made. New Scientist, 8 March 2017. https://www.newscientist.com/article/2123819-most-people-dont-know-climate-change-is-entirely-human-made/;
  5. The Paris Agreement. United Nations- Climate Change. https://unfccc.int/process-and-meetings/the-paris-agreement/the-paris-agreement;
  6. Biello, David. How Nuclear Power Can Stop Global Warming. Scientific American (2013). https://www.scientificamerican.com/article/how-nuclear-power-can-stop-global-warming/;
  7. Thompson, J. E. Survey data reflecting popular opinions of the causes and mitigation of climate change. Data in Brief, volume 14, October 2017, Pages 412-439 https://doi.org/10.1016/j.dib.2017.07.060.

Leitura adicional (original em inglês):

  1. Nuccitelli, Dana. American conservatives are still clueless about the 97% expert climate consensus. The Guardian, Thu 5 Apr 2018. https://www.theguardian.com/environment/climate-consensus-97-per-cent/2018/apr/05/american-conservatives-are-still-clueless-about-the-97-expert-climate-consensus
Publicação arquivada em