Para salvar o planeta, o crescimento populacional tem que acabar, diz David Attenborough

"A longo prazo, o crescimento populacional tem que chegar ao fim", disse Attenborough, destacando que muito disso se resume a pessoas como ele, que vivem por mais tempo.

5923 0

Na semana passada, David Attenborough sentou-se para conversar com a BBC Newsnight antes de sua próxima série de cinco partes, Dinastias, que irá ao ar na BBC em breve. (A data oficial de lançamento ainda não foi anunciada.) Durante a entrevista, o veterano de 92 anos discutiu o futuro do nosso planeta, abordando a poluição plástica, o vegetarianismo, o crescimento populacional e o Acordo de Paris.

O projeto anterior de Attenborough, Blue Planet II, ajudou a impulsionar um debate global sobre nosso vício destrutivo ao plástico e o efeito que está tendo nos oceanos do mundo. (Sem mencionar o clima , a vida selvagem e nossas dietas.) Falando sobre sacos plásticos de uso único na esteira de impostos e proibições em vários países, Attenborough disse a BBC: “Devemos nos empenhar para evitar o uso do plástico”, mas acrescentou, “não se deve maximizar o efeito de não usar um saco plástico.”

“Eu acho que é muito importante em uma democracia que as pessoas realmente tenham algo para expressar sua preocupação, e talvez as sacolas plásticas não sejam o elemento mais importante em todo o problema do plástico, mas é algo que as pessoas podem fazer”, disse Attenborough.

“Bem como a coisa fundamentalmente importante, é claro, que é colocar os políticos que realmente reconhecem o que é o perigo e farão algo que é difícil.”

Sobre o vegetarianismo, Attenborough admitiu que não é um grande carnívoro, mas diz que não há razão moral, biologicamente falando, para evitar carne, porque evoluímos para sermos onívoros. Mas que “chegamos a um estágio em nossa própria evolução social em que isso não é mais prático, porque simplesmente não podemos destruir as florestas naturais e as planícies do mundo para nos alimentarmos… Não podemos nos dar ao luxo de fazer isso, portanto, temos que modificar nossa dieta”.

Não é apenas a nossa dieta que precisa de um repensar. Attenborough diz que temos que desacelerar a taxa “alarmante” de crescimento populacional – e em breve.

“A longo prazo, o crescimento populacional tem que chegar ao fim”, disse Attenborough, destacando que muito disso se resume a pessoas como ele, que vivem por mais tempo. Embora haja fortes argumentos para afirmar que o crescimento populacional se estabilizará por conta própria, ele pensa que, quando (e se) isso acontecer a população global já estará alta demais para ser sustentável.

E finalmente, quais são os pensamentos de Attenborough sobre os Estados Unidos deixando o Acordo de Paris?

Ele disse a BBC que realmente se tranquilizou com as mudanças de atitude em todo o mundo para com o nosso planeta, desencadeadas pelo acordo histórico, e os EUA deixando o acordo não irá impedir isso.

“Há uma onda internacional de reconhecer o que estamos fazendo para o planeta e o desastre que aguarda a menos que façamos algo”, disse ele.

“Até que ponto os Estados Unidos vão se retirar, temos ainda que ver. Minha suspeita é que as pessoas vão perceber que, na verdade, a atitude dos EUA está ultrapassada, não se aplica mais, e eu acho que isso vai ser superado”. [IFLS]

Publicação arquivada em