Bolsonaro oficializa indicação de astronauta brasileiro para o Ministério de Ciência e Tecnologia

Apesar da patente do astronauta ser de estima, tê-lo indicado pode ser um aceno de que as pesquisas de bases vão ganhar menos investimentos.

3262 0

Desde o princípio da campanha eleitoral à presidência, Jair Bolsonaro, que se elegeu no último dia 28 de outubro com mais de 57 milhões de votos, vinha dizendo que convidaria o primeiro astronauta brasileiro, Marcos César Pontes, para ocupar o cargo de ministro de Ciência e Tecnologia.

Após o anúncio da vitória, ambos já conversaram diversas vezes, e, no último dia 30, Pontes disse que havia aceitado participar da chefia do ministério e que somente esperava pelo anúncio oficial de Bolsonaro.

Hoje, Bolsonaro anunciou a indicação do astronauta em seu Twitter.


Com o histórico dos últimos governos de somente oferecer o Ministério de Ciência e Técnologia (MCT) a partidos políticos e a pessoas incapacitadas, Marcos Pontes se sobrassai por sua formação de engenheiro no ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), um dos mais conceituados e difícieis de entrar no país, e sua ligação com a NASA, sendo o primeiro e único brasileiro a ir para a Estação Espacial Internacional.

Porém, como já anunciamos em outra publicação, apesar da patente do astronauta ser de estima, tê-lo indicado pode ser um aceno de que as pesquisas de bases vão ganhar menos investimentos. O plano seria direcionar mais verba às ciências aplicadas, colaborando mais nas pesquisas técnicas que nas demais áreas, como as ciências sociais e humanas e naturais.

Publicação arquivada em