Ligação genética descoberta entre ritmo circadiano e distúrbios de humor

Estudo sonda ligação genética descoberta entre ritmos circadianos e distúrbios de humor. Os ritmos circadianos são variações periódicas de 24 horas em comportamento e atividade que controlam muitos aspectos de nossas vidas, desde níveis hormonais...

3384 0

Estudo sonda ligação genética descoberta entre ritmos circadianos e distúrbios de humor.

Os ritmos circadianos são variações periódicas de 24 horas em comportamento e atividade que controlam muitos aspectos de nossas vidas, desde níveis hormonais até hábitos alimentares e de sono. No maior estudo genético dos ciclos circadianos de repouso-atividade em humanos, cientistas da Universidade de Glasgow identificaram uma possível ligação genética entre perturbações e alterações no ciclo circadiano e os distúrbios de humor.

As novas descobertas, publicadas no EBioMedicine, seguem pesquisas publicadas no começo do ano no periódico The Lancet Psychiatry, que descobriram que os ritmos circadianos interrompidos estavam associados ao aumento do risco de transtornos do humor, incluindo maior propensão à depressão e ao transtorno bipolar.

Os ritmos circadianos ocorrem em plantas, animais e em toda a biologia. Eles são fundamentais para manter a saúde humana, particularmente a saúde mental e o bem-estar.

As descobertas deste novo estudo identificaram duas áreas do genoma humano que podem conter variantes genéticas que aumentam o risco de interrupção do ciclo biológico de atividade-repouso do organismo. Os pesquisadores descobriram que uma dessas áreas continha o gene Neurofascin, que se liga ao produto da proteína de um gene candidato bem conhecido para transtorno bipolar (Ankyrin G), sugerindo uma ligação biológica direta entre disrupção circadiana e um grave transtorno de humor. A carga genética para a ruptura circadiana também foi significativamente associada à instabilidade de humor.

Para o estudo, os pesquisadores usaram informações genéticas e dados de atividades de 71.500 participantes da coorte de Biobanco do Reino Unido para obter uma medida objetiva dos ritmos diários de atividade de repouso, chamados de amplitude relativa. Essa medida foi usada na comparação de variantes genéticas transportadas por indivíduos com e sem baixa amplitude relativa para identificar possíveis associações genéticas com várias características do transtorno de humor, incluindo instabilidade de humor, neuroticismo, depressão e transtorno bipolar. Encontrar genes para baixa amplitude relativa sugere que ciclos interrompidos de atividade de repouso têm uma base biológica e não são simplesmente o resultado de circunstâncias aleatórias ou ambientais. Implica também que a ligação entre os ciclos de atividade de repouso interrompidos e os transtornos do humor pode ter origem na ação de tais genes.

Daniel Smith, professor de psiquiatria e autor sênior do artigo, disse: “Essas novas descobertas ampliam nossa compreensão da complexa arquitetura genética dos ciclos de atividade de repouso e como elas podem estar relacionadas à instabilidade de humor, neuroticismo, depressão e transtorno bipolar. Nosso objetivo é usar esta informação genética para desenvolver e eficientemente visar ou estratificar novas e melhores opções de tratamento”.

O artigo, “Estudo de associação genômica ampla da ritmicidade circadiana em 71.500 participantes do Biobank do Reino Unido e associação poligênica com instabilidade do humor” está publicado na EBioMedicine.

Fonte: MedicalXpress

Referências:

  1. Amy Ferguson et al. Genome-Wide Association Study of Circadian Rhythmicity in 71,500 UK Biobank Participants and Polygenic Association with Mood Instability, EBioMedicine (2018). DOI: 10.1016/j.ebiom.2018.08.004;
  2. Genetic Link Discovered Between Circadian Rhythms And Mood Disorders. University of Glasgow (2018). Disponível em https://www.gla.ac.uk/news/headline_602256_en.html. Acesso em 19 de agosto de 2018.
Publicação arquivada em