Há 37 a Voyager 2 fazia histórico registro de Saturno

Voyager 2 registrava Saturno, Reia e Dione em um histórico encontro em julho de 1981. A Voyager 2, da NASA, tirou esta foto de Saturno em 21 de julho de 1981, quando a espaçonave estava...

818 0

Voyager 2 registrava Saturno, Reia e Dione em um histórico encontro em julho de 1981.

A Voyager 2, da NASA, tirou esta foto de Saturno em 21 de julho de 1981, quando a espaçonave estava a 33,9 milhões de quilômetros (21 milhões de milhas) do planeta. Dois padrões de nuvem brilhantes, supostamente convectivos, são visíveis na metade do hemisfério norte e características escuras semelhantes a fumaça podem ser vistas no amplo anel B (à esquerda do planeta). As luas Reia e Dione aparecem como pontos azuis ao sul e sudeste de Saturno, respectivamente. A Voyager 2 fez sua maior aproximação a Saturno em 25 de agosto de 1981. O projeto Voyager é gerenciado para a NASA pelo Jet Propulsion Laboratory, Pasadena, Califórnia.

As duas imagens foram registradas pela câmera VG Imaging Science Subsystem — Narrow Angle da espaçonave, contudo receberam tratamentos diferentes. A imagem à direita está em falsa cor (em inglês False color ou false colour), técnica que se refere a um grupo de métodos de representação de cores usados para exibir imagens em cores que foram gravadas nas partes visíveis ou não visíveis do espectro eletromagnético. Uma imagem de cores falsas é uma imagem que representa um objeto em cores que diferem daquelas que uma fotografia (uma imagem em cores reais) mostraria.

Além disso, variantes de cores falsas, como pseudocolor, fatiamento de densidade e coropleths são usadas para visualização de dados reunidos por um único canal em escala de cinza ou dados que não descrevem partes do espectro eletromagnético (por exemplo, elevação em mapas de relevo ou tecidos em imagens de ressonância magnética).

O registro de Saturno na imagem à esquerda foi tratada em verdadeira cor, ou seja com cores iguais as que a visão humana mostraria.
Reia (próxima do polo sul à esquerda) é a segunda maior lua de Saturno, com 1.528 quilômetros de diâmetro equatorial; a maior lua do planeta anelado é Titã, que tem 5.151 quilômetros de diâmetro equatorial. Já a outra lua mostrada na imagem, Dione (próxima do polo sul, mais à direita) mede 1.123 quilômetros de diâmetro equatorial, sendo a quarta maior lua do planeta (a terceira é Iapetus com 1.470 quilômetros de diâmetro equatorial).

Ao todo quatro espaçonaves já voaram por Saturno até agora. Em 1979, a Pioneer 11 tornou-se a primeira nave espacial a voar e estudar Saturno de perto. A Voyager 1 voou em 1980 e a Voyager 2 em 1981. Em julho de 2004, a sonda Cassini chegou a Saturno, depois de sete anos de viagem interplanetária – com o fim do combustível da Cassini, a NASA optou por sacrificar a nave mergulhando-a na atmosfera do planeta às 8:54 da manhã da sexta-feira, 15 de setembro de 2017, levando á completa destruição do orbitador. Essas espaçonaves estudaram muitas das luas de Saturno também. Todas essas missões fizeram muitas descobertas importantes e enviaram maravilhosas imagens aproximadas de Saturno, suas luas e do sistema de anéis do planeta. Inclusive os dados da Cassini continua revelando novas informações, como as recentes imagens sobre Titã divulgadas pela NASA no último dia 18.

A sonda Voyager 2 está atualmente se encaminhando para deixar o Sistema Solar, cuja fronteira está a cerca de 18 bilhões de quilômetros de distância do Sol, ou a aproximadamente 121 vezes a distância entre a Terra e o Sol. Atualmente a Voyager está a 17,667 bilhões de quilômetro do Sol, viajando em relação a ele a uma velocidade de 15,4 quilômetros por segundo (ou a 34,0 km/s em relação à Terra).

Fonte: NASA/JPL (https://goo.gl/zbqdfh / https://goo.gl/BoQrkx https://voyager.jpl.nasa.gov)

Publicação arquivada em