Poderosa tempestade em Marte afeta a missão Opportunity da NASA

Obter energia solar é difícil quando não se consegue ver o Sol. O rover Opportunity Mars, da NASA, está passando por uma tempestade de poeira monstruosa que mergulhou seus arredores em uma escuridão permanente. Essa...

1493 0

Obter energia solar é difícil quando não se consegue ver o Sol.

O rover Opportunity Mars, da NASA, está passando por uma tempestade de poeira monstruosa que mergulhou seus arredores em uma escuridão permanente.

Essa escuridão impediu que o Opportunity movido a energia solar carregasse suas baterias o suficiente, e o rover ficou silencioso como resultado. Ainda assim, os membros da equipe da missão expressaram otimismo de que o robusto robô, que tem explorado o Planeta Vermelho por mais de 14 anos, irá sobreviver.

“Há uma tempestade de poeira severa em Marte que está ameaçando o Opportunity. Como resultado, o rover adormeceu e está esperando a tempestade passar”, disse John Callas, gerente de projetos do Opportunity, durante uma teleconferência da mídia sobre a tempestade de poeira. “A equipe do projeto está muito preocupada. Estamos observando o tempo e estamos ouvindo com a Deep Space Network em busca de sinais”, segundo informações do site Spaceflight Insider (https://goo.gl/4SaocN).

A nuvem de poeira levantada pelos ventos que sopravam a superfície de Marte são visíveis em imagens enviadas pelo satélite Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), atualmente em órbita do planeta. Isso não é tão incomum. Grandes tempestades de poeira acontecem no planeta todos os anos, muitas vezes com duração de semanas. Mas essa tempestade foi direcionada para o Opportunity, um veículo movido a energia solar que circula pela superfície há quase 15 anos.

Os pesquisadores da NASA encerraram as operações científicas do robô — o foco agora não é reunir dados científicos das pesquisas conduzidas pelo rover, mas manter o Opportunity vivo.

A tempestade de poeira foi detectada pela MRO em 30 de maio de 2018, de acordo com a NASA, e agora cobre mais de um quarto do planeta — cerca de 35 milhões de quilômetros quadrados — e é esperada para se tornar global dentro de dias. Os engenheiros do Jet Propulsion Laboratory (JPL) da agência espacial não puderam entrar em contato com o Opportunity em 12 de junho de 2018, o que levou os controladores a supor que o rover, do tamanho de um carrinho de golfe, agora está em modo de falha por baixa energia.

Em 6 de junho, a poeira pairava grossa o suficiente no céu para desenhar um véu através do Sol, diminuindo a luz o suficiente para diminuir significativamente a produção dos painéis solares do Opportunity.

O rover converte a luz solar em energia, que recarrega sua bateria e alimenta todos os seus sistemas, incluindo seus aquecedores, que mantêm o veículo funcional quando a temperatura cai abaixo de zero. Mas menos luz solar significa menos energia e menos calor para funcionar, desativando os sistemas do veículo. Manter o Opportunity aquecido é de vital importância. Inclusive os pesquisadores da NASA acreeditam que foram as baixas temperaturas que mataram o rover companheiro do Opportunity, o Spirit, em 2010, depois que ele ficou preso nas areias macias do outro lado do planeta.

“Devemos ser capazes de superar essa tempestade”, disse John Callas, gerente de projetos do Opportunity no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia, durante uma coletiva de imprensa em 13 de junho, segundo informações do site Space.com (https://goo.gl/jzoFvN). “Estamos preocupados, mas esperamos que a tempestade passe e o rover comece a se comunicar conosco”.

Um modo de falha de baixa energia significa que a carga nas baterias do Opportunity caiu abaixo de 24 volts. Nesse limiar, o rover foi projetado para desligar todos os subsistemas, (exceto o relógio da missão). incluindo os aquecedores de eletrônica do veículo.

Periodicamente, o relógio da missão despertará o computador para verificar os níveis de energia. Segundo a NASA, se suas baterias não tiverem carga suficiente, ele voltará a dormir. Este ciclo continuará até que tenha carga suficiente, ou então o veículo sucumbirá ante a baixa temperatura do frio ambiente marciano.

No entanto, os gerentes da missão acreditam que a temperatura interna da sonda não cairá abaixo de seu limite de projeto de menos 67 graus Fahrenheit (menos 55 graus Celsius). Com o calor retido pela tempestade e as temperaturas de verão mais quentes, espera-se que o veículo mantenha uma temperatura estável de cerca de -33 graus Fahrenheit (menos 36 graus Celsius).

A NASA afiima que, por causa da intensa tempestade de poeira, os engenheiros da missão acreditam que é improvável que o rover tenha luz solar suficiente para se comunicar de sua localização atual no Perseverance Valley pelo menos nos próximos dias.

Fontes: NASA/JPL (https://goo.gl/H8oQmo), Spaceflight Insider (https://goo.gl/4SaocN) e Space.com (https://goo.gl/jzoFvN).

Publicação arquivada em