As plantas colonizaram a Terra 100 milhões de anos antes do que imaginávamos

Nos primeiros quatro bilhões de anos da história da Terra, os continentes do nosso planeta eram desprovidos de vida além dos micróbios. Tudo isso mudou com a chegada das plantas terrestres a partir de seus...

3780 0

Nos primeiros quatro bilhões de anos da história da Terra, os continentes do nosso planeta eram desprovidos de vida além dos micróbios.

Tudo isso mudou com a chegada das plantas terrestres a partir de seus parentes marítimos, ecologizando os continentes e criando habitats que os animais mais tarde iriam invadir.

O momento deste acontecimento foi previamente marcado nas evidências das plantas fósseis mais antigas, que têm cerca de 420 milhões de anos.

Uma nova pesquisa, publicada na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, indica que esse acontecimento, na verdade, ocorreu cem milhões de anos antes disso, mudando a percepção da evolução da biosfera da Terra.

As plantas são os principais contribuintes para a erosão química das rochas continentais, um processo chave no ciclo do carbono que regula a atmosfera e o clima da Terra ao longo de milhões de anos.

A equipe utilizou a metodologia do “relógio molecular”, que combinou evidências das diferenças genéticas entre espécies vivas e os fósseis de idades dos seus ancestrais, para estabelecer uma escala de tempo evolutiva que observa através das lacunas no registro fóssil.

A Dra. Jennifer Morris, da Faculdade de Ciências da Terra da Universidade de Bristol e co-autora do estudo, explicou: “A disseminação global de plantas e suas adaptações em terra levou a um aumento nas taxas do clima continental, que resultaram em uma diminuição dramática dos níveis do dióxido de carbono do “gás de efeito de estufa” na atmosfera e o resfriamento global.

Rhynia gwynne-vaughanii - planta fóssil de 400 milhões de anos proveniente de Aberdeenshire, Escócia. Crédito: The Natural History Museum, Londres.
Rhynia gwynne-vaughanii – planta fóssil de 400 milhões de anos proveniente de Aberdeenshire, Escócia. Crédito: The Natural History Museum, Londres.

“Tentativas anteriores de dar forma a essas alterações na atmosfera comprovaram o registro fóssil da planta no seu valor nominal – nossa pesquisa mostra que as idades desses fósseis subestimam as origens das plantas terrestres e, portanto, esses modelos precisam ser revisados”.

Mark Puttick, o principal autor da equipe, descreveu a abordagem da equipe para produzir a escala de tempo. Ele disse: “O registro fóssil é muito esparso e incompleto para ser um guia confiável para a origem das plantas terrestres. Em vez de confiar apenas no registro fóssil, usamos uma abordagem de “relógio molecular” para comparar as diferenças na composição dos genes de espécies vivas – essas diferenças genéticas relativas foram então convertidas em idades usando as datações de fósseis como uma base solta.

“Nossos resultados mostram que o antepassado das plantas terrestres estava vivo em meados do período Cambriano, e que era semelhante em idade dos primeiros animais terrestres conhecidos”.

Uma dificuldade no estudo é que as relações entre as primeiras plantas terrestres não são conhecidas. Portanto, a equipe, que também inclui membros da Universidade de Cardiff e do Museu de História Natural de Londres, explorou se diferentes relações mudaram o tempo de origem estimado das plantas terrestres.

Cooksonia pertoni coletada pela co-autora Dianne Edwards. Tem cerca de 12 mm de altura. Foi publicado pela primeira vez na Palaeontology Vol 22 Edwards 1979, plate 4 fig. 13. Agora fica no Museu Nacional do País de Gales. Crédito: Diane Edwards.
Cooksonia pertoni coletada pela co-autora Dianne Edwards. Tem cerca de 12 mm de altura. Foi publicado pela primeira vez na Palaeontology Vol 22 Edwards 1979, plate 4 fig. 13. Agora fica no Museu Nacional do País de Gales. Crédito: Diane Edwards.

Líderes do estudo geral, o professor Philip Donoghue e Harald Schneider acrescentaram: “Utilizamos diferentes pressupostos das relações entre as plantas terrestres e descobrimos que isso não impactou a idade das primeiras plantas terrestres.

“Qualquer tentativa futura de modelar mudanças atmosféricas em tempos de grande escala deve incorporar todo tipo de incertezas que tivemos aqui”.


Fonte: Phys

Referência: Jennifer L. Morris el al., “The timescale of early land plant evolution,” PNAS (2018). www.pnas.org/cgi/doi/10.1073/pnas.1719588115

Publicação arquivada em