2017 foi o ano mais quente registrado nos EUA pelo terceiro ano consecutivo

Por Scott Waldman Via Scientific American Traduzido e adaptado por Felipe Sérvulo   Apenas 2012 e 2016 foram mais quentes que o ano passado. O ano passado foi o mais quente nos Estados Unidos pela terceira...

1451 0
Por Scott Waldman
Via Scientific American
Traduzido e adaptado por Felipe Sérvulo

 

Apenas 2012 e 2016 foram mais quentes que o ano passado.

O ano passado foi o mais quente nos Estados Unidos pela terceira vez seguida, com uma temperatura média de 12,5 ºC –  3 graus acima da média.

Apenas 2012 e 2016 foram mais quentes do que 2017, de acordo com um novo relatório da NOAA. Os cinco anos mais recentes registrados no país foram na última década, com base em 123 anos de registro.

O calor recorde significa que todos os anos desde 1997 tem sido mais quentes que a média nos Estados Unidos. E em 2017, cada estado teve um ano mais quente do que a média, e 32 registraram um dos seus 10 anos mais quentes registrados, de acordo com a NOAA.

“Em 2017, cada estado no Lower 48 tinha uma temperatura média acima da média, e este é o terceiro ano consecutivo que tem acontecido isso”, disse Jake Crouch, cientista climático dos Centros Nacionais de Informação Ambiental da NOAA. “É uma continuação do que vimos em 2016, o que vimos em 2015, e também vimos uma continuação em 2012, então o calor em 2017 realmente foi observado de um lado a outro”.

Cinco estados – Arizona, Geórgia, Novo México, Carolina do Norte e Carolina do Sul – tiveram seus anos mais calorosos registrados, de acordo com a NOAA. O Alasca teve seu dezembro mais quente de todos os tempos, 2 ºC acima da média.

Depois de dois terços dos estados experimentaram uma explosão de ar ártico e baixas temperaturas em um único dígito em dezembro, mas o presidente Trump, que é negacionista, tweetou que não se preocupasse pois o aquecimento global talvez possa ajudar a tornar o clima menos frio.

Mas os cientistas explicaram há muito tempo que o inverno e os resfriados instantâneos não desaparecerão como resultado das mudanças climáticas, e que os picos frios podem piorar como resultado de padrões climáticos alternativos sob o aquecimento global. Devemos lembrar que o clima do planeta não é uniformemente distribuído, e que o aquecimento também significa muito frio em lugares isolados.

“Nós vivemos em um mundo de aquecimento, mas temos pólos muito frios, e ainda temos os sistemas meteorológicos que afastam o ar frio desses pólos para as áreas onde vivemos”, disse Deke Arndt, chefe de monitoramento climático da National National of NOAA. Centros de Informação Ambiental.

A NOAA e a NASA divulgarão seu relatório de temperatura global na próxima semana. Com base em dados registrados neste ano, eles provavelmente anunciarão que 2017 será o segundo ou terceiro ano mais quente registrado.

Publicação arquivada em