Superlua de 2017: quando e como ver a superlua de dezembro neste fim de semana

Quando a “lua cheia fria”, como o também é conhecido o evento astronômico da superlua no hemisfério norte, surgir na noite de domingo (3 de dezembro) também marcará a primeira (e última) superlua de 2017....

823 0

Quando a “lua cheia fria”, como o também é conhecido o evento astronômico da superlua no hemisfério norte, surgir na noite de domingo (3 de dezembro) também marcará a primeira (e última) superlua de 2017.

Superluas acontecem quando uma lua cheia coincide aproximadamente com o perigeu da lua, ou um ponto em sua órbita no qual o satélite natural está mais próximo da Terra. Isso faz com que a lua apareça até 14% maior e 30% mais brilhante do que o normal. A lua fica cheia às 13h47 no horário de Brasília no domingo (3 de dezembro), embora pareça completamente toda iluminada à noite entre as estrelas de fundo da constelação de Touto. A Lua cheia sobe perto do pôr-do-sol, aparece mais alta no sul em torno da meia-noite do horário local e se estabelece quando o Sol aparece.  A coincidência entre esses dois eventos torna esta a maior Lua cheia de 2017, e você pode esperar ouvir a frases com os termos “Super Moon” ou “Superlua” usados para descrevê-la. Quão especial é isso? Esta Lua cheia está de 33,4′ ou 7% maior do que a média. A maioria das pessoas não notará essa pequena diferença, mas você pode apostar que muitos deles vão sair esta noite, ver a Lua brilhante pendurada abaixo do horizonte e se surpreenda com seu tamanho. Mas esta é uma ilusão – ver a Lua perto de objetos de primeiro plano familiares engana a mente a pensar que a Lua parece maior, segundo a revista Astronomy.

Você pode assistir a um transmissão on-line ao vivo da superlua pelo site observatório Slooh esta noite às 0h, cortesia do serviço de astronomia on-line Slooh, e assista diretamente a Slooh.com aqui.

A superlua de dezembro é na verdade a primeira de três luas superluas em sequência a acontecer nos próximos dois meses. Em 1º de janeiro e 31 de janeiro, a lua cheia também ocorrerá perto da chegada da lua ao perigeu, de acordo com a NASA, que anunciou o alinhamento como “Uma Trilogia de Superluas”. A superlua de 31 de janeiro também é a segunda lua cheia de janeiro, tornando-se uma Lua Azul, e também ocorre durante um eclipse lunar total.

O que é uma superlua?

Enquanto a distância média da lua é de 382.900 km (238.000 milhas) da Terra, sua órbita não é perfeitamente circular, de modo que a distância varia um pouco. Quando ela atingir o apogeu, ou o ponto da órbita mais distante da Terra, em 19 de dezembro, estará a 406.603 km (252.651 milhas) de distância. Essa é uma diferença de 49.111 km (30.516 milhas) – mas a distância entre Lua e Terra pode variar mais do que isso.

A órbita elíptica desenhada exagerada para fins ilustrativos e não está em escala correta. Fontes: Nasa SVG, Nasa ScienceCasts
A órbita elíptica da Lua desenhada exagerada para fins ilustrativos (não está em escala correta). Fontes: Nasa SVG, Nasa ScienceCasts

O perigeu para a superlua de dezembro nem será o mais próximo deste ano. Isso aconteceu no dia 25 de maio, quando a lua nova não tão “super” esteve de 357.208 km (221.958 milhas) da Terra – lembre-se, o perigeu desta superlua (lua na fase cheia) de agora, como dissemos, é de 357.492 quilômetros (222.135 milhas). No entanto, essa data não coincidiu com uma lua cheia, por isso não se qualificou como uma superlua.

Super Lua em Quezon. A Lua atingiu o Perigee às 16h43 e chegará à fase da Lua Cheia às 23h47 mais tarde nesta noite na cidade de Quezon, Filipinas. A Lua desta noite pode aparecer até 14% maior e 30% mais brilhante do que o normal. Fonte:
Super Lua em Quezon. A Lua atingiu o Perigee às 16h43 e chegará à fase da Lua Cheia às 23h47 mais tarde nesta noite na cidade de Quezon, Filipinas, segundo o Observatório Astronômico da Agência Serviços Geofísicos, Astronômicos e Atmosférica das Filipinas, a PAGASA. A Lua desta noite pode aparecer até 14% maior e 30% mais brilhante do que o normal. Fonte: PAGASA

Superluas não acontecem todos os meses porque a órbita da Lua muda de orientação à medida que a Terra gira em torno do Sol. Assim, o eixo maior da órbita elíptica da Lua em torno da Terra aponta em direções diferentes, o que significa que uma lua cheia (ou nova) nem sempre acontecerá no apogeu ou no perigeu.

Quando ver a superlua

Na cidade de Brasília, a Lua cheia começa a 13h47 no horário local, sendo que a Lua nasce às 14h40 e se põe no dia 04 de dezembro às 07h24, de acordo com timeanddate.com. O Sol nasce no dia 04 de dezembro às 06h31 e se põe 19:32, também de acordo com o timeanddat.com. Desse modo, a Lua cheia e o Sol serão visíveis ao mesmo tempo na cidade de Brasília.

Ambos não serão visíveis no céu ao mesmo tempo localidades acima do equador. Na cidade de Nova York, por exemplo, a lua cheia nasce a noite de 3 de dezembro às 4:59 p.m. horário local. O por da Lua ou Moonset será a manhã de 4 de dezembro às 7h50 da manhã, ainda de acordo com timeanddate.com. O sol se põe às 4:28 p.m. em 3 de dezembro, então a lua cheia e o sol não serão visíveis ao mesmo tempo na cidade de Nova York.

Procure a lua cheia na constelação de Touro. Embora a lua esteja oficialmente cheia em 3 de dezembro, ela ainda parecerá cheia ao observador casual a noite anterior e posterior. Assim, a lua atinge o seu tamanho aparente máximo quando ela passar pelo perigeu às 6h45 da manhã em Brasília ou 05h45 da manhã nos estados sem horário de verão. Contudo, em Brasília o Sol já terá nascido naquele horário, já que o astro rei surgirá no horizonte às 06h31 por lá.

Super Full Moon e Super New Moon Comparação ilustrativa de um Supermoon e Micromoon. A Super Full Moon parece maior. Quando uma Lua Cheia coincide com a aproximação mais próxima da Terra, ela é chamada de Super Lua cheia. Uma Lua Nova que ocorre quando a Lua está ao redor de seu perigeu é conhecida como uma Lua Super Nova. Um Micromoon, por outro lado, é quando uma Lua cheia ou nova está mais distante da Terra, em torno do apogeu. Também é conhecido como Minimoon, Mini Full Moon ou uma Mini Lua Nova.
Super Lua Cheia e Super Lua Nova: uma comparação ilustrativa entre Superlua e Microlua. A “super lua cheia” parece maior e acontece quando uma Lua Cheia coincide com a máxima aproximação da Terra (perigue), ocasião em que ela é chamada de Super Lua Cheia, ou Lua de Perigeu ou Superlua. Por outro lado, uma Lua Nova que ocorre quando a Lua está ao redor de seu apogeu, ou seja, do ponto mais distante da Terra na órbita da Lua, é conhecida como uma Lua Super Nova ou Lua de Apogeu. Uma Microlua, por outro lado, é quando uma Lua cheia ou nova está mais distante da Terra, em torno do apogeu. Também é conhecido como Minilua, Mini Lua Cheia ou Mini Lua Nova. Fonte: TimeandDate.com/Astronomy

Na momento da superlua, Marte estará espiando do horizonte, a apenas 5,5 graus acima do horizonte no céu leste (na constelação de virgem) para os brasilienses. O Planeta Vermelho sobe por volta das 4h da manhã próximo à estrela Spica, bem antes do sol nascer às 06h31, então subirá alto o suficiente para facilitar a visualização (meia hora antes do nascer do sol, será cerca de 31 graus acima do horizonte). Júpiter segue Marte, subindo próximo às 4h50 , e também estará bem acima do horizonte ao amanhecer. Já o planeta Vênus surge às 06h, meia hora antes do nascer do Sol, praticamente no limite de observação.

Uma ocultação lunar

Como aconteceu em novembro, a lua cheia passará na frente, ou “ocultará”, a brilhante estrela Aldebaran. Este evento somente será visível do norte do Canadá, do Alasca, do leste da Rússia, do Cazaquistão, de uma grande parte da China e do extremo sul de Bangladesh.

Nos Estados Unidos continentais, os residentes do estado de Washington podem ver a ocultação; as pessoas em Seattle verão a passagem da Lua na frente de Aldebaran antes do amanhecer às 6:09 horário local, reaparecendo às 6h46. Em Boise, Idaho, a ocultação começará às 7h15, mas os observadores do céu não chegarão a ver Aldebaran reaparecer por trás da Lua, já que a ocultação termina depois que a lua se pôs às 7h43 da manhã.

Em Anchorage, no Alasca, Aldebaran desaparece atrás da lua às 4h38 na hora local e reaparece às 5h32 da manhã. A Lua torna-se cheia logo depois às 6h46 na hora local, se pondo às 9h20. Observadores em Vancouver verão o início da ocultação às 6h06 e terminará às 6h46 (a lua estará cheia às 7h46 da manhã).

Os observadores da Ásia verão mais da ocultação. Em Pequim, o evento começa às 19h54 na hora local e termina às 20h37 – melhor hora de contemplar a ocultação para aqueles que preferem não se levantar muito cedo.

Como a “lua cheia fria” obteve seus nomes

De acordo com o Old Farmer’s Almanac, o nome da lua cheia em dezembro é “Full Cold Moon”, ou seja, “lua cheia fria”, dado o clima em dezembro (pelo menos no hemisfério norte), e isso não é uma surpresa.

Isso também se reflete nos nomes dos povos nativos da América do Norte. De acordo com o Projeto Ontário de Alfabetização Nativa, o Ojibwe chamou a lua cheia de dezembro de “Mnidoons Giizis”, a “Lua do Grande Espírito” ou “Lua Azul”. Para o Ojibwe, marcou o 12º mês do calendário, e foi um tempo de cura. O Haida do Noroeste do Pacífico o chamou de “Lua Neve” ou “Ta’aaw Kungaay”. O povo Ojibwa ou Chippewa (também Ojibwe, Ojibway, Chippeway) são o terceiro maior grupo de nativos americanos nos Estados Unidos, superado apenas por Cherokee e Navajo.

Entre os Hopi, uma tribo nativa americana cujo povo vive principalmente na Reserva Hopi no nordeste do Arizona, sendo que sua vida cerimonial girava em torno dos ciclos lunares e solares, a lunação logo antes do solstício de inverno era a lua “Sparrow-Hawk”, como observou Janet Sharp, da Universidade de Washburn, em seu estudo sobre conceitos matemáticos Hopi e seus métodos de ensino.

No Hemisfério Sul, dezembro é verão. Os Māori da Nova Zelândia descreveram os meses lunares de novembro a dezembro como Hakihea, ou “os pássaros agora estão sentados em seus ninhos”, de acordo com a Enciclopédia da Nova Zelândia.

Na China, o calendário lunar tradicional chama a lunação de dezembro de 10º mês. Chamado Yángyuè, ou mês de Yang, é o chamado para o yang – o princípio masculino e positivo do taoísmo familiar para os ocidentais como parte do yin e yang.

Superluas podem aparecer 30 por cento mais brilhantes e até 14 por cento maiores que as luas cheias típicas. Saiba o que faz uma grande lua cheia um verdadeiro "superlua" neste infográfico do Space.com. Clique na imagem para ampliar. Crédito: Karl Tate / SPACE.com
Superluas podem aparecer 30 por cento mais brilhantes e até 14 por cento maiores que as luas cheias típicas. Saiba o que faz uma grande lua cheia uma verdadeira “superlua” neste infográfico do Space.com. Clique na imagem para ampliar. Crédito: Karl Tate / SPACE.com

Com informações do Space.com, do Timeanddate.com, do The Guardian e da Astronomy Magazine.

Publicação arquivada em