Uma série de pesquisas retorna a terra a bordo da nave espacial de carga nesse domingo

No domingo de madrugada, o astronauta da ESA (Agência Espacial Europeia) Paolo Nespoli e o astronauta da NASA, Randy “Komrade” Bresnik, utilizaram o braço robótico Canadarm2 para libertar a capsula Dragon SpaceX para o seu...

422 0

No domingo de madrugada, o astronauta da ESA (Agência Espacial Europeia) Paolo Nespoli e o astronauta da NASA, Randy “Komrade” Bresnik, utilizaram o braço robótico Canadarm2 para libertar a capsula Dragon SpaceX para o seu regresso a terra. No mesmo dia a espaçonave não tripulada de carga Dragon caiu no Oceano Pacífico contendo vários experimentos científicos realizados na Estação Espacial Internacional (ISS).
A cápsula não tripulada Dragon caiu no Oceano Pacífico no domingo, 17 de setembro, a oeste da Baja Califórnia, com mais de 1.700 quilogramas  de carga da NASA, experimentos de pesquisa e amostras de demonstração de tecnologia da Estação Espacial Internacional.

Uma variedade de estudos tecnológicos e biológicos estão retornando na Dragon. O experimento Lung Tissue usou o ambiente de microgravidade do espaço para testar estratégias para o crescimento de novos tecidos pulmonares. O objetivo final dessa investigação é produzir tecido pulmonar humano desenvolvido por bioengenharia que pode ser usado como um modelo preditivo de respostas humanas, permitindo o estudo do desenvolvimento pulmonar, fisiologia pulmonar ou patologia de doenças. Os pulmões são órgãos tão esponjosos que não podem ser criados artificialmente em ambiente com gravidade — devido à característica muito esponjosa e oca, o pulmão cultivado em terra colapsa, já que não é maduro o suficiente pra produzir a substância surfactante.

Amostras do estudo CASIS PCG 7 utilizaram o ambiente de microgravidade do laboratório em órbita para desenvolver versões maiores de uma proteína importante envolvida na doença de Parkinson. Desenvolvido pela Fundação Michael J. Fox, Anatrace e Com-Pac International, os pesquisadores procuraram aproveitar o ambiente de microgravidade da estação já que nele os cristais de proteínas cresçam em formas mais perfeitas do que os cristais da Terra, permitindo que sejam melhores analisado em terra. Definir a forma e a morfologia exatas da enzima LRRK2 ajudará os cientistas a compreender melhor a patologia do Parkinson e auxiliará no desenvolvimento de terapias contra essa doença.

Os ratos do estudo Roent Research-9 da NASA também retornaram vivos para a Terra para estudo adicional. A investigação combinou três estudos em uma missão, com dois sendo observados como a microgravidade afeta os vasos sanguíneos no cérebro e nos olhos e um terceiro em relação à perda de cartilagem nas articulações do quadril e do joelho. Para seres humanos na Terra, pesquisas relacionadas a mobilidade limitada e a articulações degradadas podem ajudar os cientistas a entender como a artrite se desenvolve. Além disso, uma melhor compreensão das deficiências visuais experimentadas por astronautas pode ajudar a identificar causas e tratamentos para distúrbios oculares.

 

Vídeo: a espaçonave cargueira SpaceX Dragon CRS-12 partiu da Estação Espacial Internacional em 17 de setembro de 2017, às 054h0 no horário de Brasília (08:40 UTC 04:40 a.m EDT). O engenheiro de vôo da Expedição 53, Paolo Nespoli, da ESA, e o comandante da estação espacial internacional Randy Bresnik, da NASA, usaram o braço robótico Canadarm2 para liberar a Dragon depois que ela foi separado da porta voltada para a Terra do módulo Harmony da Estação. A cápsula caiu (“splashdown”) no Oceano Pacífico às 11h14 (14:14 UTC, 10:14 a.m EDT). Crédito: NASA

 

A nave espacial Dragon foi levada de navio para Long Beach, Califórnia, onde alguma carga será removida imediatamente para retornar à NASA. A Dragon será preparada para uma viagem de regresso às instalações de teste da SpaceX em McGregor, Texas, para processamento final.

A Dragon atualmente é a única nave espacial de reabastecimento da Estação Espacial Internacional capaz de retornar uma quantidade significativa de carga para a Terra (e da Terra para a estação espacial). A capsula Dragon é um acordo comercial da SpaceX com a NASA, sendo lançada ao espaço pelo famoso foguete Falcon 9 (aquele em que parte de seus motores, o chamado primeiro estágio, retorna à Terra), também desenvolvido e operado pela mesma empresa comercial de exploração espacial, para abastecer de experimentos científicos e alimentos para os astronautas e cosmonautas a ISS.

A nave espacial foi lançada do Launch Complex 39A no Centro Espacial Kennedy da NASA, na Flórida, pelo Falcon 9 no dia 14 de agosto, carregando cerca de 2.900 quilogramas de suprimentos e de carga científica em sua décima segunda missão comercial de reabastecimento da empresa Espace X para a estação. Em toda missão com a Capsula Dragon em que ela vai até a estação, ela leva alimentos e frutas frescas, e alguma iguaria para a tripulação, além de experimentos científicos e suprimentos para a ISS. Na volta, a cápsula cargueira retorna com experimentos executados ou a terem continuidade em terra e com descartes da ISS. Essa foi a segunda vez que essa Dragon vai ao espaço e volta de lá, já que ela é renovada e reusada pela empresa de Elon Musk.

Uma visão de perto do veículo de carga do Dragon no topo do foguete Falcon 9 da SpaceX antes do lançamento do sábado, 03de junho de 2017. Crédito: SpaceX
Uma visão de perto do veículo de carga Dragon no topo do foguete Falcon 9 da SpaceX antes do lançamento do sábado, 03 de junho de 2017. Crédito: SpaceX

Estação Espacial Internacional vem sendo utilizada continuamente por mais de 16 anos, sendo um laboratório espacial de microgravidade de excelência, onde seres humanos vivem e trabalham, promovendo conhecimento científico e demonstrando novas tecnologias, executando pesquisas que possibilitam descobertas científicas não possíveis na Terra, onde a ação da gravidade é um fator complicador ou impeditivo de certos tipos de experimentos, ou promovendo descobertas que permitirão a exploração humana e robótica de longa duração no espaço profundo. Em um esforço global, mais de duzentas pessoas de dezoito países visitaram o laboratório orbital internacional de microgravidade, que hospedou mais de 2.100 investigações científicas de mais de 95 países.

Um relatório de todos os experimentos que estão sendo conduzidos a bordo da ISS neste momento, bem como as atividades planejadas para serem realizadas pela tripulação da estação espacial, pode ser acessado do blog oficial da NASA, na seção ISS On-Orbit Status Report.

Com informações da NASA e do site Spaceflight Now.

Publicação arquivada em