A história de uma imagem histórica: um transplante e seus personagens

A National Geographic escolheu essa como a melhor foto de 1987, e por uma boa razão. Aqui, vemos o Dr. Zbigniew Religa vigiando os sinais vitais de um paciente após uma cirurgia cardíaca de 23...

1937 0

A National Geographic escolheu essa como a melhor foto de 1987, e por uma boa razão. Aqui, vemos o Dr. Zbigniew Religa vigiando os sinais vitais de um paciente após uma cirurgia cardíaca de 23 horas que ele realizou. No canto inferior direito, você pode ver um de seus colegas que o ajudaram com a cirurgia, adormecida. O Dr. Religa foi pioneiro no transplante de coração na Polônia e, embora a cirurgia fosse considerada quase impossível naquela época, ele realizou o transplante e a operação foi completamente bem-sucedida. Hoje, mesmo que o coração do Dr. Religa tenha parado de bater, o do paciente dele ainda está funcionando.

Zbigniew Religa realizou o primeiro transplante de coração bem sucedido no país e, em junho de 1995, foi o primeiro cirurgião a enxertar uma válvula cardíaca artificial criada a partir de materiais retirados de cadáveres humanos. Paralelamente a ser um cirurgião, ele também teve uma carreira política bem sucedida, embora fora da Polônia ele seja conhecido principalmente por suas conquistas médicas. Em 1993, tornou-se membro do senado polonês e foi reeleito em 2001. Ele foi um candidato promissor nas eleições presidenciais polonesas de 2005. Mesmo quando ele recuou da corrida presidencial com apenas 6% dos votos, ganhou um grande respeito pela população polonesa.

O cirurgião Zbigniew Religa após um transplante cardíaco de 23 horas, observando os sinais vitais do paciente. Imagem: National Geographic.
O cirurgião Zbigniew Religa após um transplante cardíaco de 23 horas, observando os sinais vitais do paciente. Imagem: National Geographic.

Em 1987, o procedimento de transplante de coração proposto recebeu sinal verde e o Religa não perdeu um único momento. A cirurgia foi extremamente exigente, com duração de 23 horas, no final do qual Religa foi fotografado olhando os sinais vitais do paciente. A angústia e a fadiga realmente transcendem a imagem, e quanto mais você a olha, mais você vê — tudo adiciona uma nova dimensão à cena. A cirurgiã assistente dormindo no conto, a bagunça sangrenta, a miríade de cabos…  Mas quando o fotográfo James Stansfield tirou essa foto, ele não contou apenas uma história de cirurgia — de certo modo, ele mudou o mundo.

A fotografia premiada mostrou um lado diferente da medicina moderna — e ela ainda mostrou que é possível alcançar algo que parecia quase impossível. É difícil, leva muito tempo e é cansativo, mas é possível transplantar o coração de um homem e torná-lo saudável novamente. O fato de seu paciente, Tadeusz Zitkevits, sobrevivir a Religa é apenas um testemunho do sucesso da cirurgia.

Tadeusz Zitkevits, o paciente que recebeu o transplante cardíaco, 25 anos após a cirurgia. Imagem: National Geographic.
Tadeusz Zitkevits, o paciente que recebeu o transplante cardíaco, 25 anos após a cirurgia. Imagem: National Geographic.

Neste vídeo, que está em polonês, mostra o registro de alguns momentos de celebração após a cirurgia e cenas da cirurgia real. Vale a pena assistir.

Hoje, transplantes cardíacos salvam muitas vidas que, de outro modo, estariam condenadas. Embora não seja tecnicamente uma cura para uma doença cardíaca ou coronária, os transplantes cardíacos tipicamente têm taxas de sobrevivência muito boas. É graças a médicos muito talentosos e atenciosos como Zbigniew Religa que isso é possível hoje; e é graças a fotógrafos como James Lee Stansfield que podemos realmente admirar o trabalho desses hérois.

Texto adaptado do original de ZME Science.

Publicação arquivada em