Dinossauro “mumificado” de 100 milhões de anos descoberto

Os cientistas comemoraram, nesse ano, a descoberta do que poderia ser o espécime de dinossauro blindado mais preservado já encontrado na história. Conhecido como nodosauro, o fóssil tem cerca de 110 milhões de anos. Em...

179320 9

Os cientistas comemoraram, nesse ano, a descoberta do que poderia ser o espécime de dinossauro blindado mais preservado já encontrado na história. Conhecido como nodosauro, o fóssil tem cerca de 110 milhões de anos.

Em 2011, um operador de equipamentos pesados com o nome de Shawn Funk, que trabalha para a empresa de energia Suncor em Alberta, estava perfurando areias de petróleo bruto quando, de repente, descobriu rochas com cores amarronzadas que pareciam com costelas. “Definitivamente, nada que já tivéssemos visto antes”, disse Funk em uma entrevista em 2011. O homem ainda não desconfiava que ele acabara de descobrir um dinossauro.

Quase 6 anos depois, finalmente podemos ver o exemplar no Museu Royal Tyrrell. Os cientistas dizem que uma quantidade significativa de “pele” e “armadura do fóssil de dinossauro que completa do focinho aos quadris” estavam intactas.

“Nós não temos apenas um esqueleto”, disse ao National Geographic, Caleb Brown, pesquisador do Museu Royal Tyrrell.” Nós temos um dinossauro como ele realmente teria sido.” O dinossauro está muito bem preservado: “pode ter sido varrido por um rio inundado e levado ao mar, onde acabou de afundar. Durante milhões de anos no fundo do oceano, os minerais tomaram o lugar da armadura e da pele do dinossauro, preservando-o da forma realista agora exibida.”

Os cientistas estão comemorando após a descoberta do que poderia ser o espécime de dinossauro blindado mais preservado já encontrado

Conhecido como nodosauro, com cerca de 110 milhões de idade

Foi descoberto em 2011 por um operador canadense de equipamentos pesados ao perfurar petróleo bruto

“Nós não temos apenas um esqueleto … Nós temos um dinossauro como ele realmente teria sido”

“Pode ter sido varrido por um rio inundado e levado ao mar, onde acabaria se  afundando” para ser tão incrivelmente bem preservado

Esta é uma réplica de como os nodosaurios deveriam ter sido

Créditos da imagem:  Herschel Hoffmeyer

Publicação arquivada em